- Esportes

Guerrero chega à quarta final do ano pelo Inter sem gol, mas ganha defesa de Odair: “Deu a vida”

Artilheiro incontestável do Inter na temporada, em uma das melhores fases da carreira aos 35 anos e idolatrado por torcedores de dois países. O grande ano de Paolo Guerrero, no entanto, contrasta com um histórico ruim em finais. Em quatro decisões pelo Inter na temporada, o atacante não conseguiu balançar as redes em nenhuma oportunidade.Na noite desta quarta-feira, Guerrero passou em branco na decisão da Copa do Brasil contra o Atlético, no qual o Inter acabou derrotado por 2 a 1 e encerrou como vice. Mesmo apoiado por mais de 50 mil pessoas em casa, o atacante não conseguiu prevalecer diante de uma defesa jovem, formada pela dupla de zaga Robson Bambu (21 anos) e Léo Pereira (23).Guerrero teve duas chances de balançar as redes. No primeiro tempo, participou da jogada do gol de Nico López. Arrematou uma bola que sobrou na área, na qual o uruguaio escorou o rebote para as redes. Já na segunda etapa, teve uma chance “roubada” por Víctor Cuesta. O zagueiro finalizou para fora de cabeça, um cruzamento de Sobis que tinha o camisa 9 como endereço.

Após a partida, o técnico Odair Hellmann saiu em defesa do atacante. Em entrevista coletiva, o técnico afirmou que Guerrero lutou até o fim e “deu a vida” nos jogos, mas reconheceu que ele enfrentou dificuldades diante dos defensores rivais.

– Talvez o adversário também tenha confrontado ele, levado ela para a dificuldade. Penso que no primeiro tempo nós o procuramos mais, uma situação um pouco mais limpa. O gol do Nico é uma tabela com ele dentro da área. No segundo tempo a gente tentou uma bola mais direta nele, também pelo desgaste todo. E em muitos momentos os zagueiros também conseguiram esse imposição, de primeira bola, de cabeceio. Mas o Paolo deu a vida nos dois jogos, tentou tudo que pôde. A equipe tentou de todas as formas ajudá-lo, mas não foi o nosso dia – defendeu Odair.”Em casa, a gente resolve”
Já no confronto de ida, na Arena da Baixada, Guerrero se viu isolado no ataque e pouco municiado pelos companheiros. Minutos após perder por 1 a 0 na Arena da Baixada, o peruano reclamou do gramado sintético e exibiu a confiança em uma frase: “Em casa, a gente resolve”, se referindo ao jogo da volta. Faltou transformá-la na atuação de campeão que tanto se esperava.

O camisa 9 também ficou sem gols nas duas decisões do Gauchão. Não conseguiu superar a defesa do Grêmio nos dois jogos nas finais do estadual – foram dois empates sem gols, no qual o Tricolor conquistou o título nas penalidades. Por outro lado, fez o gol da seleção do Peru na decisão da Copa América contra o Peru, embora a derrota por 3 a 1 tenha decretado outro vice. .

Mesmo assim, Guerrero exibe números vistosos na temporada. Em 25 jogos, soma 13 gols pelo Inter, numa média de 0,52 por partida. Ainda encerra a Copa do Brasil como artilheiro do torneio, ao lado de Pipico (Santa Cruz) e Luciano (ex-Fluminense e hoje no Grêmio), com cinco gols.

Os números de Guerrero no ano
25 Jogos pelo Inter
13 gols (média de 0,52)
11 gols no Beira-Rio
2 gols fora de casa
1 gol em cinco decisões

Fonte: Globo Esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *