- Esportes

Hamilton se diz decepcionado por falas de lendas da F1 sobre racismo na categoria

Após o tricampeão Jackie Stewart afirmar “que o problema de diversidade na F1 não é tão grande quanto parece”, foi a vez de outra lenda da categoria, Mario Andretti, questionar as intenções de Lewis Hamilton com as manifestações antirracismo na F1, como o ato de se ajoelhar antes da corridas e o fato de a Mercedes ter pintado o carro de preto, por exemplo.

– Eu respeito muito Lewis, mas por que se tornar um militante? Ele sempre foi aceito e conquistou o respeito de todo o mundo. Acho que o objetivo disso é pretensioso. Então sinto isso e ele está criando um problema que não existe. Pintando seu carro de preto, eu não sei o que ele fará. Eu conheci pilotos de diferentes origens, corridas e sempre os recebi de braços abertos. No automobilismo, independentemente da cor, você tem que ganhar seu lugar com resultados e isso é o mesmo para todos – afirmou Andretti ao jornal chileno “El Mercurio”.

O piloto usou suas redes sociais para mostrar sua decepção com Andretti e Stewart e para responder as afirmações do piloto americano, pelo qual diz ter enorme respeito.

– Isso é decepcionante, mas infelizmente é uma realidade que algumas das gerações mais velhas, que ainda hoje têm voz, não conseguem sair do seu próprio mundo parar reconhecer que há um problema. Novamente, isso é pura ignorância, mas isso não vai me impedir de continuar lutando por mudança. Nunca é tarde para aprender e espero que esse homem, pelo qual sempre tive respeito, possa dedicar algum tempo para se educar – afirma Hamilton.

Apesar da vitória categórica no Grande Prêmio da Hungria, Lewis Hamilton não estava 100% feliz após a corrida. Isso porque, ao contrário do que aconteceu duas etapas anteriores, em Spielberg (Áustria), não houve neste domingo um ato antirracista organizado. Até foram usadas novamente camisetas com a frase “End Racism” (“Fim ao Racismo”), mas os pilotos não se ajoelharam de forma organizada – o ato é um conhecido símbolo antirracista. Para Hamilton, a F1 precisa organizar melhor uma forma de promover a mensagem contra o racismo e a favor da diversidade.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *