- Esportes

‘Manager’, referência e cuidados na rotina do clube: a força de Ceni no título do Fortaleza na Série B

O Fortaleza contou com mãos decisivas para se sagrar campeão da Série B. Em seu primeiro título como treinador, Rogério Ceni se tornou referência de mudança de patamar do Tricolor do Pici tanto dentro quanto fora de campo.

Ceni não se limitou a transmitir conselhos para seus comandados. Agindo como um “manager”, ele também participou de negociações de reforços, solicitou mudanças na rotina e reformas no clube:

– O Rogério é um cara que tem uma visão muito ampla de futebol e nos ajuda muito a crescer. Graças aos conselhos dele, reformamos o CT. Mas, claro, tudo com profissionalismo, ele pede tudo que esteja dentro da realidade do clube. Dentro e fora de campo, o Rogério foi fundamental nesta engrenagem nossa – contou o executivo Sérgio Papelin.

Passo a passo, o LANCE! detalha como Rogério Ceni levou o Fortaleza recém-egresso da terceira divisão para a rota do inédito título da Série B (conquistado com duas rodadas de antecedência, após a equipe vencer o Avaí por 1 a 0, no último sábado).

NOME DE CENI PESA PARA A CHEGADA DE REFORÇOS

Ceni é apresentado por Marcelo Paz, presidente do Fortaleza: nome do goleiro ‘pesou’ para contratações (Reprodução)

A contratação de Rogério Ceni voltou o Fortaleza para os holofotes do futebol nacional. Segundo o presidente Marcelo Paz, o treinador foi um “fiel na balança” para a chegada de reforços ao Pici:

– Em algumas situações específicas, o próprio Ceni ligou para os jogadores pedindo para eles virem para cá. Qualquer jogador gosta quando o treinador chama, é a prova de que conta com ele, né? Além disto, é o Rogério. Traz um peso maior de ídolo para esta geração que o viu brilhar em campo!

Sérgio Papelin, executivo do Fortaleza, complementou:

– Quando ele ligava para os atletas, aí é que eles decidiam vir para cá.

Repórter do diário “O Povo”, André Almeida cita um exemplo de mudança de rota em uma negociação graças à presença de Ceni:

– O Fortaleza disputou com o Ceará a contratação do Romarinho, que estava se destacando no Globo-RN. Aí o Ceni ligou para ele e, mesmo com o Ceará na Série A, o Romarinho quis ir para o Fortaleza.

MUDANÇAS PELO BEM DO ELENCO

Fortaleza mudou local de treinamento. E CT ganhou academia e hotel (Divulgação)

O Fortaleza teve de se adaptar a algumas mudanças solicitadas por Rogério Ceni. A primeira delas foi o local de treinamento da equipe: em vez do Estádio Alcides Santos, as atividades ocorrem no CT Ribamar Bezerra, em Maracanaú (município localizado a 24km da capital).

No CT, os jogadores tiveram algumas novidades:

– Agora, os jogadores têm à sua disposição academia, hotel e campo auxiliar. Na alimentação, embora a gente tenha dois nutricionistas, o Rogério está sempre sugerindo. Mas tudo que ele faz ajuda muito o clube a crescer – relatou Sérgio Papelin.

O executivo contou como são recebidas as sugestões de Ceni pela diretoria do clube:

– Tudo é discutido, mas geralmente o presidente acata por serem sugestões que só acrescentam na estrutura do clube.

Comentarista da Rádio Assunção, Paulo Santiago exalta o trabalho que Rogério Ceni impôs ao elenco para a sequência da Série B:

– Ceni tem um percentual altíssimo neste “renascimento” do Fortaleza. Ele organizou e estruturou a parte física da equipe ao mudar o campo de treino para equipar o CT. Além disto, trouxe profissionais com experiência para o dia a dia do Fortaleza.

No Fortaleza desde 2015, o lateral-esquerdo Bruno Melo avaliou o impacto das mudanças:

– A principal foi a nossa mudança de centro de treinamento. Mas outras mudanças também ocorreram como a parte nutricional, a logística de viagens…

Segundo o repórter André Almeida, de “O Povo”, é inegável que o trabalho de Ceni deu toques de inovador:

– Ele agiu como um “manager”, algo que não é comum aqui no estado e nem no Brasil mesmo. Todos os jogadores foram contratados ou indicados por ele, além de tudo que o Ceni fez nos bastidores do clube.

UNIÃO CONTRIBUI PARA ELENCO ACREDITAR NO TÍTULO DA SÉRIE B

‘Rogério Ceni tem um espírito vencedor’, diz executivo do clube (Divulgação)

A rotina de treinos em Maracanaú trouxe uma consequência que contribuiu de certa forma para o título da Série B. De acordo com o repórter André Almeida, do jornal “O Povo”, o Tricolor do Pici se uniu de vez:

– Quando os treinos aconteciam em Fortaleza. era comum que os jogadores treinassem pela manhã e, após almoçarem em suas casas, voltavam ao estádio para treinar. Já lá no CT de Maracanaú, é diferente. Eles passam o dia todo juntos, inclusive durante as refeições. Isto ajudou muito o entrosamento, uniu o grupo, estreitou as relações.

Nem mesmo a frustração no Campeonato Cearense (quando a equipe perdeu o título para o rival Ceará) foi suficiente para tirar a confiança de uma temporada bem-sucedida sob o comando de Rogério Ceni:

– Eu dei minha palavra de que a gente teria todo o ano de trabalho, independentemente dos resultados. A gente cumpriu este planejamento. Dava para ver no dia a dia a prática, o profissionalismo, a dedicação do Rogério – afirmou Marcelo Paz.

De acordo com o mandatário, outro fator pesou para o Fortaleza:

– O foco, essa vontade de vencer que o Rogério tem. Não era por este resultado que íamos mudar nosso planejamento. Aí, sem titubear, mantivemos ele e o resultado foi muito bom.

O executivo do clube, Sérgio Papelin, crê que este fator, aos poucos, passou a ser transmitido também aos jogadores do Tricolor do Pici:

– O Rogério tem um espírito vencedor. Está sempre querendo ganhar. Passou para os nossos atletas de que o objetivo era ganhar o título e, se entra assim, é inevitável brigar pela parte de cima da tabela.

O lateral Bruno Melo não esconde a importância de Rogério Ceni para a volta do clube cearense à elite:

– Ele é um treinador diferenciado, de grande capacidade, seus trabalhos nos treinamentos pouco se repetem. Além disto, é bem amigo dos atletas, compreende o perfil de cada jogador.

O jogador, que marcou o gol “do acesso” na vitória por 2 a 1 do Fortaleza sobre o Atlético-GO, ainda exalta o trabalho de “manager” de Rogério Ceni:

– Ele tem uma preocupação com todas as funções que dão suporte aos atletas, como nutrição, fisiologia, preparação física e acredito que tudo isso além dele ter sido um goleiro multicampeão ajudou na nossa conquista.

Diante de tanto impacto que trouxe ao clube, a diretoria do Fortaleza já manifesta desejo de contar com Rogério Ceni para 2019:

– Se Deus quiser, vamos conseguir esta renovação. A vinda do Rogério foi fundamental para esta campanha vitoriosa que a gente teve – afirmou Sérgio Papelin.

Mais do que conquistar seu primeiro título como treinador, Rogério Ceni ganhou no Tricolor do Pici o “status” de uma fortaleza para a volta do clube cearense à elite do futebol nacional. Após a decepção com a demissão na sua experiência como técnico, justamente no São Paulo em que é ídolo, o ex-goleiro faz um marcante trabalho e engrena na nova carreira.

Em entrevista exclusiva ao LANCE! após conquistar o título simbólico do primeiro turno da Série B, no início de agosto, Ceni falou de suas ambições por conquistas e dos sentimentos que nutria por sua passagem malsucedida no comando do Tricolor paulista.

Fonte: Msn


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *