- Esportes

Marcão ganha crédito com torcida e jogadores, e vitória dá calma ao Fluminense na busca por técnico

A vitória por 2 a 1 sobre o Grêmio neste domingo, no Maracanã, ajudou a dar um pouco mais de paz ao ambiente do Fluminense após uma semana conturbada, com polêmicas no empate com o Santos na quinta, demissão de Oswaldo de Oliveira na sexta e invasão de torcedores no CT para cobrar jogadores no sábado.

O clima mais leve entre os jogadores, o desempenho do time sob o comando do interino Marcão e o apoio da torcida nas arquibancadas deu também mais calma para a cúpula de futebol do clube decidir sobre a questão do novo técnico. Em 16º no Brasileirão com 22 pontos, o Tricolor se aproximou de equipes como Ceará, Fortaleza e Vasco na tabela.

A decisão será tomada pelo presidente Mário Bittencourt, o vice Celso Barros e o diretor de futebol Paulo Angioni. Depois dos dirigentes terem procurado Cuca e terem ouvido que o ex-treinador do São Paulo não pretende trabalhar mais em 2019, foi feita uma sondagem a representantes de Luiz Felipe Scolari, e ainda não houve retorno. O técnico pentacampeão mundial, no entanto, é considerado muito caro para a realidade financeira do clube. Fontes próximas dele também disseram que o treinador não tem intenções de voltar à ativa este ano. Até o momento, o Flu não contactou outros nomes.

Não há previsão para a definição do novo técnico. A manutenção de Marcão como interino é considerada uma alternativa. O excelente relacionamento com o grupo, a atuação do time neste domingo e a identificação com a torcida contam a favor do ex-volante. Ao fim do jogo, Marcão teve o nome gritado pelas arquibancadas.

– O sentimento do torcedor é o nosso. Sou de arquibancada. Sei o que eles estão sentindo, mas aqui de dentro temos que ter tranquilidade para fazer as coisas certas. O carinho… É inexplicável. Eles nos apoiaram o tempo todo, passaram essa energia maravilhosa para a equipe – disse Marcão na coletiva.

– Marcão conhece nossa equipe, sabe o que podemos produzir, nos deu tranquilidade para jogarmos. Mas dentro de um limite, pediu para simplificarmos e não corrermos riscos. Passou muita confiança e deu resultado hoje – disse Muriel.

Após conversa com os jogadores durante a semana, Marcão montou o time tricolor com uma escalação mais próxima a do antigo técnico Fernando Diniz. Sem Digão, suspenso, Yuri foi improvisado na zaga, e Daniel foi a novidade no time, reeditando o meio de campo com Allan e Ganso.

– O Marcão estava aqui com o Diniz, via que o time estava jogando bem apesar de alguns resultados ruins. Ele decidiu manter isso, pediu para a gente jogar como sabemos, ficar com a bola. Hoje felizmente deu tudo certo – destacou Daniel.

O time, com a bola jogou mais ao estilo de Diniz, na distribuição dos atletas no gramado e na valorização da posse, como os atletas se sentem mais confortáveis para atuar. Sem a bola, foi mais defensivo, aguardando o adversário em seu campo. O que se viu foram jogadores mais leve em campo, reflexo do ambiente menos carregado.

– O Diniz ficou bastante tempo com a gente. Mudar o estilo de jogo assim rápido a gente não ia conseguir. Marcão mandou a gente colocar em prática o futebol que a gente sabe e fizemos em campo. Graças a Deus deu tudo certo – analisou João Pedro.

É cedo ainda tirar conclusões definitivas de um crescimento de rendimento, afinal o Grêmio atuava com um time reserva. Resta aguardar se Marcão terá novas oportunidades de mostrar serviço à frente do time.

A expectativa é que a cúpula tricolor volte a debater o tema novo técnico a partir desta segunda-feira. Agora com menos pressão e com a semana cheia, já que o próximo compromisso do Fluminense é apenas no próximo domingo, contra o Botafogo, no Engenhão, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *