- Esportes

Marquinhos crê em azar no lance de gol e vê três finais pela frente na fase de grupos

Aos 31 da etapa final, Fabián arriscou de fora da área, a bola explodiu nas costas de Marquinhos e ficou limpa para Mertens, que só colocou o pé direito para marcar o segundo gol do Napoli em Paris nesta quarta-feira. Infelicidade do zagueiro brasileiro e sorte do atacante belga que só não terminaram num resultado pior para o PSG porque Di María achou uma linda finalização nos acréscimos para garantir o empate em 2 a 2 no Parque dos Príncipes. Ainda que tenha escapado da derrota, o tropeço em casa obrigará o time francês a se recuperar nas três rodadas finais da fase de grupos para evitar uma eliminação precoce (e frustrante).

– No contexto todo do jogo, eu penso que esse gol foi muito bom pra gente porque com essa derrota, a nossa situação ia ficar ainda mais difícil nessa fase de grupos. Desde que saiu esse grupo, a gente sabia que ia ser muito difícil, que cada seria decidido nos detalhes, nas mínimas coisas, e a gente vê a cada jogo dentro de campo. É assim que vai acontecer daqui até o final também. Agora, a gente tem aí três jogos importantes, e a gente tem que pensar que cada jogo é uma final pra gente, com resultados importantes a se fazer, com vitórias importantes e tentar buscar fora de casa e depois no último jogo aqui, contra o Liverpool.

“Então, é encarar verdadeiramente como finais esses três jogos que nos sobram aí”, completou Marquinhos.

Único brasileiro do PSG que falou com a imprensa em Paris após o jogo, Marquinhos explicou o lance que valeu o segundo gol do Napoli no jogo.

– Eu estava simplesmente na trajetória da bola quando veio o chute. Eu tava de costas e veio a bola, bate em mim e sobra pro atacante do Napoli fazer o gol facilmente. Então, deixo pra vocês analisarem, se acharem que é um erro meu tudo bem, mas creio que foi mais uma má sorte ali onde eu tava na trajetória da bola e onde houve o chute. Pela velocidade da bola, não tenho como tirar o meu corpo. Eu tava muito próximo também do goleiro… ia ser muito difícil também pra ele se a bola passasse ali. Então, as coisas acontecem muito rápido e são nos mínimos detalhes que… esses gols, essas coisa importantes. Foi uma má sorte, uma má sorte pra equipe que nos deixou com um resultado difícil pra buscar no final. Graças a Deus a gente consegui esse gol no finalzinho que foi um gol importante.

Na matemática do Grupo C, o resultado mantém o PSG fora da zona de classificação para a fase final, mas evita o pior. Afinal, se saísse com a vitória nesta quarta, o Napoli assumiria a liderança do Grupo C – e deixaria o Paris Saint-Germain, que ainda faz dois dos três jogos restantes fora de casa, a três pontos dos dois primeiros colocados. O empate, no entanto, deixou as coisas assim: Liverpool em primeiro, com seis; Napoli em segundo, com cinco; PSG em terceiro, com quatro; e o Estrela Vermelha em último, com um.

– Todo mundo sabe que faltaram coisas hoje, acima de tudo no primeiro tempo. A gente teve um primeiro tempo muito abaixo, mas as coisas foram ditas no vestiário, muito bem claro, o treinador fez boas mudanças táticas que nos deram mais estrutura pra que a gente conseguisse pressionar eles mais alto, roubar bolas mais altas, defender melhor também atrás onde a gente tinha 3 zagueiros pra 2 atacantes e as coisas funcionaram melhor no segundo tempo. Foi muito claro que teve um primeiro tempo muito abaixo da equipe e um segundo tempo muito acima – completou o zagueiro.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *