- Esportes

Melhor em campo contra o Palmeiras, Cássio se consolida como o maior goleiro do Corinthians no Dérbi

Cássio não é o melhor goleiro da história do Corinthians, embora possa até ser o mais vencedor. Dida foi melhor, e Gilmar é um mito. Mas na história do Dérbi, o clássico que colocou o Corinthians à frente na estatística depois de 53 anos teve como herói o goleiro campeão mundial, que chegou a 22 jogos contra o grande rival, com 11 vitórias.

A soma dos seis empates e das cinco derrotas não supera seu número de triunfos. Dentre os mais míticos arqueiros corintianos, só Gilmar dos Santos Neves tem tanta superioridade sobre o rival (12 vitórias, cinco empates e cinco derrotas).

Mas na média de gols sofridos, Cássio dá show: são 19 gols sofridos em 22 jogos, 0,86 por jogo. Gilmar, que tem uma vitória a mais, sofreu 34 gols no mesmo número de jogos, 1,54 por partida.

O único com índice semelhante é Leão, invicto contra o Palmeiras, mas que disputou só três Dérbis com a camisa corintiana. Levou dois gols em três partidas.

Cássio é o único da lista com menos de um gol sofrido por jogo, tendo mais de cinco atuações. Para confirmar o camisa 12 como o maior goleiro corintiano da história do Dérbi, o drone que sobrevoou o estádio de Itaquera trouxe a frase “Eterno 8/4”, referência à final do Campeonato Paulista de 2018, vencida pelo Corinthians nos pênaltis com defesas de Cássio nas cobranças de Dudu e Lucas Lima.

No Dérbi que colocou o Corinthians à frente nas estatísticas depois de 53 anos, com 128 triunfos contra 127 do Palmeiras, Cássio fez nove defesas, das quais seis consideradas difíceis para efeito de Cartola e pelo Footstats. Se o goleiro foi o principal jogador em campo, tem a ver com a competência do Palmeiras, superior especialmente no segundo tempo.

Veja todas as defesas de Cássio no jogo:

9 vídeos
Cássio levou um susto logo no começo do Dérbi. Willian acertou a trave.
Mas foi o máximo que o Palmeiras conseguiu. Depois, ele defendeu chute de Bruno Henrique……e fez uma linda defesa com os pés em chute de Willian.
Não só pelo número de finalizações. O Palmeiras subiu a marcação, recuperou a bola no campo de ataque onze vezes, teve 56% de posse de bola, 20 finalizações contra 7 corintianas. Tiago Nunes mexeu no sistema tático, puxando Gabriel para a cobertura de Fagner, quase como lateral, com Ramiro mais centralizado e Luan adiantado. Fágner foi quase um ponta e era, em muitos momentos, um sistema tático 4-1-3-2.

Mas sem controle da bola.

O Palmeiras perdeu seu sexto Dérbi dos últimos dez, mas saiu dando esperança pela característica de jogo. O time de Vanderlei Luxemburgo está classificado para as quartas de final, mas pode precisar enfrentar o Santo André como visitante, ou no Canindé ou em Bragança Paulista.

Os goleiros do Timão em Dérbi:
Cássio

11 vitórias, 6 empates, 5 derrotas, 27 gols pró, 19 gols sofridos

Ronaldo

11 vitórias, 11 empates, 14 derrotas, 53 gols sofridos
Dida

1 vitória, 2 empates, 2 derrotas, 12 gols sofridos
Gilmar

12 vitórias, 5 empates, 5 derrotas, 34 gols sofridos
Carlos

2 vitórias, 4 empates, 4 derrotas, 16 gols sofridos
Leão

1 vitória, 2 empates, 2 gols sofridos

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *