- Esportes

Nadal exalta conquistas, mas rechaça já ser o melhor da história: “Estou entre eles”

A vitória arrasadora sobre o número 1 do ranking, Novak Djokovic, no domingo valeu a Rafael Nadal a impressionante marca de 13 conquistas do Aberto da França e seu 20º título de Grand Slam, marca esta que iguala o feito do recordista Roger Federer. Cinco anos mais jovem que o suíço, o espanhol frisa que ainda falta para superar o histórico adversário, mas admite estar entre os grandes da história do tênis mundial.

– (Sobre já ser o maior) Não, não, isso é discutível. No final, os números têm que ser analisados por quem conhece bem a história do tênis. Honestamente, também não importa muito para mim. Estou feliz com minha carreira. É claro que hoje estou entre eles. A partir daqui veremos o que acontece com Novak, veremos o que acontecerá com Federer quando ele retornar e veremos o que acontece comigo. Felizmente, acho que teremos tempo para analisar todos os dados quando nossas corridas terminarem e chegar a um veredicto claro – frisa Nadal em entrevista ao diário madrileno “Marca”.

Os inúmeros troféus já conquistados não bastam para o Touro Miúra. Aos 34 anos, Rafael Nadal ressalta que enquanto tiver condições físicas e objetivos no esporte não irá tirar o pé e vai buscar ainda mais.

– Sou uma pessoa de sorte por todas as coisas que me aconteceram por tantos anos. A vida, até hoje, sorriu para mim. O que resta a ganhar? Você verá o que resta, mas a ilusão é seguir em frente, porque se você não está animado para fazer o que faz, é hora de se dedicar a outra coisa. Enquanto mantiver a ilusão de jogar tênis e competir, é hora de continuar fazendo o que sempre fiz, que é me empenhar para continuar gerando opções para competir no mais alto nível.

“Rei do Saibro”, Nadal só não venceu três vezes em Roland Garros desde que levou seu primeiro título em 2005: na edição de 2009 (caiu nas oitavas para o sueco Robin Söderling, quer perdeu a final para Roger Federer), em 2015 (caiu nas quartas para Djokovic, superado na final por Stan Wawrinka) e em 2016 (se lesionou durante o torneio e não disputou a terceira rodada).

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *