- Esportes

Nunca expulso, Ralf prevê catimba e pede equilíbrio ao Corinthians contra sina de cartões vermelhos

Além de questões técnicas e táticas, o Corinthians se preocupa com o aspecto emocional para o duelo contra o Racing na estreia na Copa Sul-Americana. O Timão encara o clube argentino às 21h30 (de Brasília) desta quinta-feira, em Itaquera.

O sinal amarelo tem motivo. O Corinthians teve jogadores expulsos nas últimas quatro eliminações em torneios continentais (relembre abaixo).

O que fazer, então, para acabar com esta sina? Não há resposta exata para esta pergunta, mas o GloboEsporte.com decidiu ouvir um especialista corintiano no quesito disciplina. Próximo de completar 400 jogos pelo Timão (tem 388 atualmente), o volante Ralf nunca foi expulso pelo clube e, aos 34 anos, diz não se lembrar de já ter recebido um cartão vermelho na carreira.

Ralf prevê um duelo quente diante do Racing nesta quinta e dá a receita para a classificação:

– A Sul-Americana é uma competição que exige muito foco, muito equilíbrio. Quando você joga contra sul-americanos, como vamos jogar contra argentinos, eles vêm para catimbar, para amarrar o jogo. Temos que ter equilíbrio o jogo todo – comentou o volante.

– Esses cartões bestas têm como ser evitados, a comissão passa isso para a gente, para não entrar em provocação, não cair em catimba, e sabemos que eles são profissionais em catimba.

Mas, para Ralf, não basta estar calmo. Segundo o volante, posicionamento e preparo físico são fundamentais para explicar por que ele nunca foi expulso:

– Isso é algo que acontece naturalmente, mas é claro que tenho aquela preocupação. Você não pode ser expulso e deixar sua equipe com um a menos. Ainda mais por expulsão que a gente considera boba. Com 11 já é difícil, com 10 é mais ainda. Atribuo (nunca ter recebido cartão vemelho) ao fato de estar bem fisicamente. Você consegue antever, antecipar as jogadas, isso dentro do meu posicionamento é de suma importância – destacou o volante.

Relembre abaixo as eliminações do Corinthians em torneios sul-americanos com jogadores expulsos:

em 2015, contra o Guarani, do Paraguai, nas oitavas de final da Libertadores, Jadson e Fábio Santos levaram cartão vermelho;
em 2016, contra o Nacional, do Uruguai, nas oitavas de final da Libertadores, Fagner foi expulso;
em 2017, contra o Racing, da Argentina, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana, Rodriguinho e Jô deixaram o campo mais cedo;
em 2018, contra o Colo-Colo, do Chile, pelas oitavas de final da Libertadores, Danilo Avelar levou vermelho.

Segundo Ralf, o cuidado para não ter novas expulsões em jogos decisivos tem sido assunto no Corinthians nos últimos dias.

Outra preocupação do técnico Fábio Carille é com a marcação em jogadas pelo alto. Sete dos nove gols sofridos pela equipe na temporada foram assim.

– Quem tem menos culpa disso é o Fábio. Você vê a gente treinando isso exaustivamente no dia a dia. E mesmo assim a gente acaba tomando gol. Corremos o risco de cair na Copa do Brasil na primeira fase, o que seria um grande impacto para o clube. Não podemos nos dar ao luxo de ficar tomando esses gols bobos. Temos uma equipe de boa estatura, o que dificulta para o adversário, e a gente tem que agredir mais a bola, estar mais junto e falar mais um com o outro. Tem que falar, tem que cobrar e, aos poucos, vamos crescendo – opinou Ralf.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *