- Esportes

Obsessão, agressividade e calma: como o Inter se prepara “jogo da vida” contra o Flamengo

O Inter se apega a sua força em casa, com 78,7% de aproveitamento em 22 jogos no ano, para impor um estilo já conhecido aos olhos do torcedor. A equipe planeja fazer um jogo de muita intensidade e agressividade para criar chances e buscar os gols – algo que tanto faltou ao longo dos 90 minutos de uma estratégia estritamente defensiva e até inofensiva no Maracanã.

Mas sem queimar etapas ou colocar a carroça na frente dos bois. O Inter pretende construir sua revanche com calma e paciência, passo a passo. A ordem expressa por Odair Hellmann é pressionar para fazer o primeiro gol e só depois pensar no 2 a 0 que levaria a decisão aos pênaltis, ou no 3 a 0, que garantiria a vaga na semifinal.

Tudo isso sem tirar os olhos do sistema defensivo. O Colorado redobra a atenção para se proteger do poderoso ataque flamenguista e evitar contra-ataques ou passar por uma pane semelhante ao apagão de quatro minutos que sentenciou sua derrota no Maracanã.

Vale lembrar: o gol marcado fora de casa é critério de desempate nos mata-matas da Libertadores. Assim, sofrer um gol do Flamengo implica ao Inter a missão de fazer quatro gols para avançar a semifinal.

– Ao mesmo tempo que tem que ser agressivo, é preciso cuidado, porque o Flamengo tem jogadores que podem decidir, como aconteceu no Maracanã. Vamos jogar para fazer o primeiro gol e a consequência disso dentro do jogo. Jogadores estão muito conscientes. Torcedor pode vir, vai nos apoiar e criar uma energia muito forte – diz o técnico Odair Hellmann.

Diferente de domingo

Em paralelo à missão na Libertadores, o Inter tenta se manter “imune” à derrota de virada por 2 a 1 do time reserva para o Goiás. O tropeço teve seus reflexos apenas no vestiário do Serra Dourada.

“Conversamos muito bem. Vem essa obsessão por ganhar títulos, essa fome. Todo mundo está focado nessa mesma linha” (Guerrero)
Em Goiânia, houve cobranças, indignação e até irritação de dirigentes e comissão técnica com a postura da equipe reserva. Todos sentimentos externados pelo vice de futebol Roberto Melo, que pediu até desculpas ao torcedor após a partida. Mas que não retornaram a Porto Alegre com a delegação.

– Todos os companheiros queriam ganhar. Nesse time não tem titular nem suplente. Somos um grupo, sabemos do nosso objetivo. Conversamos muito bem, vem essa obsessão por ganhar títulos, essa fome. Todo mundo está focado nessa mesma linha. Companheiros ficaram chateados pela derrota, mas o jogo de quarta-feira vai ser diferente – sentencia Guerrero.

Com ingressos esgotados e expectativa de 48 mil torcedores nas arquibancadas, o Inter se apega à sintonia com a torcida para ser empurrado rumo à virada. E já nesta terça-feira. Odair comandará a primeira parte do último treino com portões fechados. Depois, a partir das 16h15, os torcedores poderão acessar o Beira-Rio para incentivar os jogadores no treinamento.

Inter e Flamengo se enfrentam às 21h30 da quarta-feira, no Beira-Rio, pelo jogo da volta das quartas de final da Libertadores. Após a derrota no Maracanã, o Colorado precisa vencer por três gols para ir à semifinal. Uma vitória por 2 a 0 leva a decisão aos pênaltis.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *