- Esportes

Pouco municiado, Cano finaliza menos e não marca há cinco jogos. Seca coincide com jejum do Vasco

Após um início de trabalho animador, o Vasco atravessa seu pior momento sob o comando de Ramon Menezes. Mais do que a nítida queda de rendimento, os números retratam a fase ruim da equipe. São cinco jogos sem vencer, incluindo dois empates e três derrotas.

O jejum coincide com a seca de Germán Cano. O argentino não marca há cinco jogos. Seu último gol foi justamente na última vitória do Vasco, no 3 a 2 contra o Botafogo, pelo Campeonato Brasileiro, em 13 de setembro.

Ramon minimizou o jejum de Cano, após de a derrota para o Atlético-MG.

– O Cano é um dos artilheiros da competição. Daqui a pouco vai voltar a fazer gols. Meu foco é recuperar todos – disse o treinador.

De fato, não parece ser o caso de apontar uma eventual má fase do argentino. Entre os torcedores, não há quem conteste seu goleador. Mas o jejum de cinco jogos chama atenção. Afinal, Cano vivia uma regularidade impressionante. Foram 16 gols na temporada, sete deles no Brasileiro. Após a vitória sobre o Botafogo, a Fifa o apelidou de “Máquina de Gols”.

O ge foi atrás para tentar entender os motivos que levaram Cano a parar de balançar as redes. Houve chances desperdiçadas? Sim, mas os números mostram que o argentino foi menos municiado nos últimos jogos.

Alguns fatores que podem ajudar a explicar:

1) Ausências dos garçons Benítez e Andrey

Andrey e Benítez são os caras que mais deram passes para finalizações de Cano no Brasileiro. Nesse período de seca, a dupla foi desfalque em alguns jogos. O argentino foi ausência contra Coritiba e Bragantino, enquanto o volante ficou fora por três jogos, no primeiro encontro diante do Botafogo, na Copa do Brasil, e também nos jogos no Couto Pereira e contra o time de Bragança Paulista, em São Januário . Os dois, porém, estiveram em campo contra o Atlético-MG, e Cano pouco apareceu na partida. Suspensos, Andrey e Benítez desfalcam o Vasco mais uma vez nesta quarta, contra o Bahia.

Ranking dos garçons de Cano no Brasileiro

2) Menos finalizações por jogo

Até a 10ª rodada, Cano finalizou 19 vezes a gol. Ele tinha uma média de 2,1 arremates por jogo. Nos últimos três jogos (contando só Brasileiro) foram somente quatro finalizações – média de 1,3 por partida. Uma redução de 62% na média de finalizações por jogo.

3) Menos minutos em campo

Em 2020, Cano permaneceu em campo pelo Vasco 43h40min14s (ou 2.620 min) – média de 93 minutos por jogo.
Antes das cinco últimas partidas ele tinha média de 94 minutos em campo (2.176 min no total).
Nas últimas cinco partidas, Cano foi substituído duas vezes e ficou em campo 443 minutos em campo – média de 88 minutos por jogo.
As substituições não têm relação com o momento do atacante. Ramon explicou que vem sacando o argentino para não “estourar” seu artilheiro. Cano participou de todos os jogos do Vasco desde que o futebol foi retomado, após a pandemia. São 17 jogos seguidos.

As chances de Cano nos últimos 5 jogos

Botafogo 1 x 0 Vasco

No jogo de ida contra o Botafogo pela Copa do Brasil, o artilheiro recebeu de Benítez nas costas da zaga e pegou de primeira. Gatito fez grande defesa.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *