- Esportes

Kaio Márcio explica decisão de se aposentar e exalta sua trajetória na natação: “Fico orgulhoso”

Já que o ano de 2020 foi tomado pelo imprevisível, Kaio Márcio tratou de traçar o seu destino, que, há pouco mais de uma semana, passou a ser, oficialmente, fora das competições oficiais de natação. Mas seu futuro permanece diretamente ligado à modalidade, provavelmente moldando novos atletas em suas escolas de formação, em Belo Horizonte e em João Pessoa, sua cidade natal.

O otimismo que tinha para buscar uma das vagas nas Olimpíadas de Tóquio – adiadas de 2020 para 2021 – ficou em segundo plano, e Kaio Márcio preferiu seguir o planejamento que havia traçado para este ano. Sendo assim, novos projetos devem ganhar rumos no planejamento do pessoense.

Com 35 anos vividos, o ex-nadador dedicou 20 anos de sua vida à prática da natação profissional. E, na maior parte de sua carreira, em altíssimo nível. Em 2006, por exemplo, foi campeão mundial nos 100m borboleta. Ele fez quatro participações em Olimpíadas e conquistou nove medalhas pan-americanas.

– É complicado. A gente fica sem saber o que fazer. Passamos a vida inteira no esporte e, de repente, para tudo. O corpo é o primeiro a sentir. Era uma rotina de seis horas de treinos por dia. Eu estou muito acostumado a isso. Dá uma diferença muito grande – confessou.

Kaio Márcio conversou com o apresentador do Globo Esporte PB, Kako Marques, e contou como aconteceu a sua decisão em pôr um ponto final a sua vitoriosa trajetória na natação. O adiamento das Olimpíadas de Tóquio, em virtude da pandemia do novo coronavírus, teve peso fundamental, já que era essa sua a principal meta para a temporada.

– A previsão era Tóquio 2020. Eu me programei muito para parar neste ano. Não tinha mais como continuar um planejamento. Eu estou partindo para uma outra fase da minha vida. A questão das Olimpíadas terem sido adiadas, a dificuldade de poder viajar em competições internacionais… isso atrapalha um pouco também. Era uma decisão que já vinha dentro de mim. Eu acredito que foi no momento certo – contou.

Em Santos, no Open de 2005, Kaio Márcio conquistou o seu primeiro recorde mundial. A prova era uma das suas principais especialidades: 50m borboleta. O nadador marcou 22s60. Na Copa do Mundo de Estocolmo, na Suécia, o ex-nadador quebrou o recorde mundial dos 200m borboleta em piscina curta. O recorde foi algo impressionante: 1min49seg11. Parecia não haver limites para o paraibano. Foram dois recordes mundiais e 25 marcas sul-americanas.

– A natação fez parte da minha vida por 20 anos. Foi uma carreira muito feliz. Eu fui o último atleta da minha idade que esticou mais. Durou bastante. Fico feliz por ter conseguido vários feitos. Foram dois recordes mundiais, fui campeão mundial, fui para quatro olimpíadas, Jogos Pan-Americanos. É uma carreira que olho para trás e fico orgulhoso. Se tivesse que fazer novamente, faria tudo de novo e não mudaria nada – declarou.

Com tantas emoções vividas a cada braçada dada, a cada pódio conquistado e a cada recorde batido, Kaio Márcio reverteu a sua corrida contra o tempo na busca por descanso e por novos horizontes. O esporte, que, aos quatro cantos do mundo, provou do seu talento, agradece também pela trajetória que deve se iniciar fora das piscinas.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *