- Esportes

Quanto custa para formar um ídolo? Confederação já gastou R$ 1,9 mi com Hugo Calderano

Atual número sete do ranking mundial de tênis de mesa, Hugo Calderano é o maior atleta da história do país na modalidade, e já é um dos candidatos ao pódio para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

Segundo a CBTM, já foi gasto R$ 1,9 milhão pela entidade na formação de Hugo como atleta. Iniciou-se um trabalho científico e orientado para a alta performance. No período, Calderano ficou um ano morando na França, com o acompanhamento de Michel Gadal e Jean René Mounie. Michel é um francês que revolucionou os métodos do tênis de mesa e Jean um dos principais técnicos do planeta, que segue com Hugo até hoje.

A CBTM tem o cálculo exato de quanto gastou, ou melhor, quando investiu em Hugo:

Técnico: R$ 535,55 mil
Custo da comissão técnica em eventos: R$ 442,86 mil
Passagem aérea para eventos: R$ 363,83 mil
Administrativo: R$ 283,37 mil
Pacote de participação em eventos: 247, 74 mil
Preparados físico: 27,95 mil
Sparring: 8,04 mil
Psicólogo: 5,42 mil
Total: 1,935 milhão

Hugo era atleta do Fluminense e começou a chamar atenção com os resultados significativos nas categorias de base, em 2008 e 2009. Ali, aconteceu detecção do talento e iniciou-se o trabalho.

Hoje ele é campeão dos Jogos Pan-Americanos, número 7 do ranking mundial, foi nono colocado na Olimpíada e tem chances de medalha em qualquer competição que entrar.

A ideia é fazer o mesmo projeto com Bruna Takahashi, atleta de 14 anos, que tem se destacado nas principais competições de base. Ela está entre as melhores do mundo no ranking sub-15, já fez testes físicos junto à equipe do COB, e deve embarcar para a Europa em breve.

Daqui a dez anos, a gente vê quando custou para Bruna virar uma estrela do tênis de mesa mundial.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *