- Esportes

Réver desabafa sobre boatos de “corpo mole” no Atlético-MG e defende filosofia de Sampaoli

Um dos líderes do elenco, Réver usou palavras duras na entrevista coletiva que concedeu na Cidade do Galo nesta sexta-feira. Primeiro, comentou sobre a iminente saída do técnico Jorge Sampaoli, defendendo a filosofia implantada pelo argentino. Depois, em tom de desabafo, rebateu boatos de que o time fez “corpo mole” na reta final do Campeonato Brasileiro por um suposto descontentamento do grupo com o trabalho do treinador.

As insinuações de “falta de vontade”, criadas em redes sociais, revoltaram o zagueiro. O Atlético-MG, que se manteve entre os primeiros colocados durante toda a competição – ficou fora do G-4 em duas rodadas apenas – vem de três jogos sem vencer, resultados que tiraram o clube da briga pela taça do Brasileirão.

– É difícil até te responder. Acho que vou até manter um pouco o senso porque não é possível que isso vem acontecer. A gente fica assim chateado também por tudo que gera, por todo burburinho que colocaram nesse período pós-jogo do Bahia. É inadmissível. Você está um certo tempo sem uma conquista tão importante para o clube e, faltando tão pouco para conquistar esse objetivo, não só dos atletas e sim de milhões de torcedores, de uma diretoria que não mediu esforços para que isso não pudesse acontecer, e você escutar que jogador está deixando de correr por vaidade.

– Infelizmente, tem pessoas que querem aproveitar da situação. Há duas semanas, você não ouvia falar que o Atlético, que jogadores estavam deixando de correr dentro de campo. Então, é inadmissível. E se tivesse algo desse tipo, pode ter certeza que essa pessoa, esse atleta seria cobrado de uma forma muito ríspida.

“O que move o atleta são as conquistas, e você estar tão próximo de uma conquista e deixar de alcançar esse maior objetivo que é o ápice da carreira de um jogador é inadmissível. Isso realmente não aconteceu, é inverdade de pessoas de mau-caráter.”

Réver foi um dos alvos dos boatos. O zagueiro lembrou seu passado de conquistas (pelo Galo, foi capitão da conquista da Libertadores, foi campeão da Recopa, da Copa do Brasil e do Campeonato Mineiro).

– Eu posso dizer isso porque meu nome teve muito envolvido nisso. Eu nunca precisei disso para chegar onde eu cheguei. Pelo contrario. Me dediquei muito. Eu tive que correr muito atrás dos meus sonhos e objetivos.

“É uma pessoa de mau-caráter que faz isso, não deve ser torcedor do Atlético que fala isso, porque o torcedor do Atlético verdadeiro não fala isso, porque tem tantos anos que o Atlético luta por esse titulo. (…) A gente está aqui, é profissional e, acima de tudo, tem caráter. Para mim, essas pessoas não tem caráter, não são torcedores.”

O capitão não deixou de reconhecer a frustração com o Atlético fora da briga pelo troféu, decepção causada justamente pela boa campanha cumprida pelo time em todo o campeonato. Agora, o Galo precisa vencer o Sport, domingo, em Recife, para confirmar vaga direta na Libertadores.

– Sem dúvida, a gente acaba ficando muito chateado, frustado pelo que aconteceu de não poder estar brigando pelo título até porque era o maior objetivo do clube esse ano. Já que o primeiro semestre totalmente frustrado com eliminações absurdas que tivemos, nós entramos fortes no Campeonato Brasileiro e, por um detalhe ou outro, nós acabamos deixando a desejar, coisa que não deveria acontecer.

“Mas a gente tem que seguir, pensar agora na classificação para a Libertadores, que é o que a gente tem para hoje.”
Pagou o preço
A saída de Sampaoli, que deve ser confirmada após o término do Campeonato Brasileiro, também foi abordada na coletiva. Réver apoiou a proposta apresentada pelo treinador desde março de 2020, quando o argentino assumiu a equipe. Segundo ele, Sampaoli pagou o preço pela coragem de apostar em uma filosofia que poucos se arriscam a implantar.

– Sobre a questão do treinador, se realmente vier a concretizar, a gente vai sentir muito a perda do Sampaoli. Até porque foi um cara acabou implementando uma filosofia, uma maneira, um estilo de jogo que todo mundo aí fora cobra, mas ninguém quer pagar o preço, e ele aqui acabou fazendo isso. Se vier a concretizar, nós vamos sentir muito a ausência dele, mas talvez pode ser o melhor pra ele. Todo mundo tem que sentir feliz onde quer que esteja, mas volto a frisar, para gente seria uma perda muito grande.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *