- Esportes

Tímido, Max chamou atenção do Flamengo na Copinha e já fez gol olímpico no Vasco

Quem acompanha a base do Flamengo não se surpreendeu totalmente com o golaço de Max, que deu a vitória por 1 a 0 sobre o Nova Iguaçu, na estreia no Campeonato Carioca. O mineiro de 19 anos já havia mostrado sua qualidade, com um gol olímpico sobre o Vasco, pelo Campeonato Brasileiro sub-20 (confira no vídeo acima).

A facilidade com que bate na bola, porém, é oposta à desenvoltura fora de campo. Mineiro de Juiz Fora, Max foi captado pelo Flamengo após se destacar na Copa São Paulo de Juniores, pelo Tupi de Juiz de Fora. Chegou ao clube em janeiro de 2020 e ainda tenta se adaptar à nova realidade.Muito tímido, o meia foi se encontrando aos poucos no sub-20 em 2020. Somente na reta final firmou-se como titular, também por conta da lesão de Yuri de Oliveira. Uma trajetória que coincide com o que apresentou em campo contra o Nova Iguaçu: um início nervoso, mas um belo gol para coroar a estreia nos profissionais.

– Perguntei aos meus companheiros de campo como que o Mauricio trabalhava, o que que ele gosta, e fui pegando, sempre procurando, perguntando a ele. Agradeço a Deus por tudo. Estou muito feliz de representar esse manto, esse clube maravilhoso. Espero trazer muitas felicidades a esse clube e também trabalhar bastante – disse Max após o jogo.Eu conheço bem o Max, tem muita humildade e um talento muito grande. Entrou extremamente nervoso, errando coisas que não costuma errar. Fez um gol que lembra muito o do Gerson contra o Boavista. É um menino talentoso, humilde, trabalhador, e merece tudo que está vivendo hoje – completou Mauricio.Inspiração em Gerson

A comparação com Gerson não è à toa. O volante rubro-negro é a principal referência de Max na carreira.

– Meu perfil mesmo é o Gerson. É um cara que, hoje em dia, é meu espelho. Eu me inspiro muito nele. É um cara técnico, que sabe jogar. E também um cara sério, que sabe a hora de brincar e de sorrir.

Muito emocionado após o jogo, Max foi mostrado nas redes sociais do Flamengo chorando bastante. Ele dedicou o gol ao filho Heitor, de apenas dois meses. Lembrou também da esposa, Poliana, da mãe e do pai, falecido, que uma vez profetizou: o meia ainda chegaria ao Flamengo.

– Creio que ele está olhando de cima. Uma vez falou para mim, quando eu tinha 13 anos, que eu ia chegar no grupo do Flamengo, e espero poder fazer várias histórias neste clube. Este gol representa muitas coisas para mim. Representa meu futuro.

Fonte: Globo Esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *