- Polícia

Polícia prende suspeito em latrocínio de motorista de aplicativo, no AM

Um jovem de 19 anos foi preso suspeito de ter participado do latrocínio do motorista de aplicativo Sidney Barbosa de Araújo, de 41 anos, encontrado morto em um terreno no bairro São José Operário, na Zona Leste de Manaus, em setembro. “Ele reagiu e tivemos que matar”, disse o suspeito durante apresentação no 12° Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Luciano Bezerra Ramos é o quinto preso por suspeita de envolvimento no crime. Na terça-feira (16), quatro homens foram presos pelo latrocínio. Eles seriam membros de uma organização criminosa envolvida em roubos de veículos e latrocínios na capital, segundo a polícia.

De acordo com o delegado Cícero Túlio, da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (DERFV), Luciano Ramos foi preso em uma casa, situada em um ramal a cerca de 90 km de Presidente Figueiredo – município a 127 km de Manaus.

Conforme Túlio, o suspeito cometia os crimes com a ajuda dos comparsas. No dia 28 de setembro, eles cometeriam apenas um assalto ao motorista Sidney Barbosa, mas a vítima reagiu e foi morta pelos criminosos. Ele foi encontrado com uma facada cravada em um dos olhos.

“Após os crimes, ele [suspeito] foi para a casa de um amigo, na estrada. Nós conseguimos prendê-lo e ele confessou. Ele nos disse que foi responsável por dar uma das facadas na vítima”, explicou o delegado.

Apresentado em uma coletiva de imprensa, Ramos confessou o crime novamente. “Nós só queríamos assaltar. Como ele reagiu, tivemos que matar. Eu dei uma facada no peito só. O outro menino deu uma no olho dele. Peço perdão à família”, disse.

Outro crime
Ainda conforme o delegado Raul Neto, do 12° Distrito Integrado de Polícia (DIP), o homem ainda matou outra pessoa, dois dias após a morte do motorista.

“Era um homem que estava cometendo crimes na área em que o grupo atuava. Ramos então o matou, para que o local não ficasse mais visado pela polícia”, comentou.

Luciano Ramos deve responder pelos crimes de latrocínio e associação criminosa. Após os procedimentos cabíveis na delegacia, ele deve ser encaminhado para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

Entenda o caso
Sidney Araújo desapareceu na madrugada de 26 de setembro, quando atuava como motorista da plataforma de transporte privado. A esposa dele, Cátia Araújo, de 37 anos, disse que solicitou os dados da última corrida do companheiro à empresa ’99’, onde prestava serviço.

“Eu liguei para a empresa e o pessoal disse que foi uma corrida do Parque 10 (Zona Centro-Sul) para o São José Operário. (…) Meu marido morreu desta chamada. Os amigos dele disseram que foram três rapazes. Uma corrida por volta de 1h50 e ele chegou no local às 2h09”, contou.

O corpo foi localizado por colegas de trabalho de Sidney Araújo em um terreno na Rua Acari, no Conjunto Colina do Aleixo, segundo conta o motorista Ivan Duarte. A vítima foi encontrada com as mãos amarradas para trás e com facadas pelo corpo.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *