- Política

Radares móveis são retirados de rodovias, mas podem voltar

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) acatou a determinação do presidente da República, Jair Bolsonaro, e retirou os 299 radares portáteis e estáticos que estavam em funcionamento nas rodovias federais, mas os motoristas devem continuar pensando duas, três vezes antes de saírem acelerando. “Além da segurança das pessoas estar em risco, a fiscalização feita dessa forma pode voltar”, diz Renato Capestrini, especialista em Trânsito, Mobilidade e Segurança. “O despacho da Presidência determina a retirada até a conclusão de estudos sobre a viabilidade do uso e a necessidade de utilização desses sistemas”, explica.

A assessoria de imprensa da PRF confirma que os radares móveis “foram recolhidos e, tão logo sejam concluídos os estudos e reavaliações de aplicação, voltarão à atividade”. Segundo o órgão, entre janeiro de 2018 e julho de 2019, eles foram responsáveis por 6.339.500 autuações por excesso de velocidade.

Capestrini reforça ainda que a determinação de retirada temporária ocorreu apenas nas rodovias federais. “Nas estaduais e municipais, assim como dentro dos centros urbanos, não há nenhuma restrição aos chamados radares móveis.”

Ele diz que já é visível nas estradas do país o relaxamento dos motoristas com a fiscalização. “As pessoas estão correndo mais. Reduzem a velocidade apenas quando encontram a sinalização dos radares fixos e disparam logo em seguida”, lamenta o especialista.

Desde que assumiu, Bolsonaro tem feito uma cruzada contra os radares na rodovias federais. Em abril, ele havia determinado o cancelamento da instalação de novos equipamentos (fixos e móveis) e a revisão da necessidade de manutenção dos que já estavam em funcionamento.Dias depois, a juíza Diana Wanderlei, da 5ª Vara Federal em Brasília, determinou que a União mantivesse os radares eletrônicos e renovasse os contratos com as empresas que os forneciam.

Fonte: R7


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *