- Brasil

Pai afirma que PMs com fuzil atiraram no filho em abordagem no Rio

Um jovem de 22 anos foi atingido por um tiro de fuzil na última segunda-feira (4) no Santo Cristo, região central do Rio. O pai afirma que o filho foi vítima de PMs que o abordaram. A Polícia Militar, por sua vez, diz que o rapaz foi agressivo e que uma arma disparou por acidente. O estado dele é grave.

Segundo Wilson Duarte, pai de Lucas Szelazek Duarte da Silva, o filho estava na porta de casa, na Rua Araújo Viana, quando viu dois PMs agindo com truculência na abordagem a um outro jovem. Na sequência, o pai ouviu Lucas dizendo “Não aponta a arma pra mim”.

Wilson foi à janela e viu o filho sob a mira de um fuzil. Ele relata que, com truculência, um dos PMs continuou mandando o rapaz deitar no chão. O pai resolveu ir para a calçada, mas, no caminho, ouviu um disparo, que não acertou em ninguém.

Quando Wilson chegou do lado de fora, a esposa dele estava entre o filho e o policial, pedindo calma. A confusão continuou. “O PM tentou dar um chute na barriga do meu filho, mas Lucas agarrou a perna, e o militar caiu.” Wilson conta que nesse momento o PM mirou o fuzil e atirou em Lucas. O tiro pegou em uma das pernas do jovem.

Wilson diz que entrou em desespero, mas o policial gritava “Se afasta de mim, senão você vai tomar tiro também”. O pai do rapaz conta que só aí o policial se deu conta do que estava acontecendo e gritou para o colega buscar o carro. E levaram Lucas para o Hospital Souza Aguiar.

“O policial estava bastante alterado, intransigente”, denuncia Wilson.

Foram cinco horas de cirurgia na Unidade Coronariana. Wilson diz que o filho está melhor, mas ainda inspira cuidados.

Segundo a família, os policiais são do 5º BPM (Praça da Harmonia).
O que diz a PM
Em nota, a PM diz que a Corregedoria está apurando o caso. “Os militares tentaram realizar a abordagem, mas enfrentam resistência do cidadão, que se negou a colaborar”, afirma a corporação.

Ainda segundo a PM, um dos policiais informou que se não houvesse a colaboração Lucas seria preso por resistência. “Nesse momento, o acusado tentou agredir o policial. Um disparo acidental foi efetuado pela pistola do militar, vindo a ferir o agressor na perna”, diz a nota.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *