- Cidade

Amazonas adota placa de trânsito do Mercosul a partir do dia 10 de dezembro

A partir do dia 10 de dezembro deste ano a placa do padrão Mercado Comum do Sul (Mercosul) começa a ser utilizada em veículos no Amazonas. A implementação foi estabelecida pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Este novo modelo faz parte de um acordo internacional que tem como intuito de identificar automóveis que circulam pelo Brasil e os demais países que fazem parte do bloco econômico sul-americano.

O Amazonas é o segundo estado do país a adotar o padrão das placas Mercosul. A previsão é de que Espírito Santo, Goiás, Pernambuco e Rondônia também passem a adotar o uso a partir do dia 10. O Brasil é o terceiro país do Mercosul a adotar a placa. Os dois primeiros foram Uruguai, em 2015, e Argentina em 2016.

De acordo com o diretor central de placas do Amazonas, Jonas Martins, inicialmente, logo na primeira etapa, as placas serão adotadas em veículos zero quilômetro, na primeira transferência de propriedade, primeira mudança de município ou por iniciativa do proprietário. A troca das placas dos veículos, até agora, não é obrigatória.

“Hoje, as placas só serão trocadas no primeiro emplacamento [carro zero], na mudança de jurisdição, quando você muda de um estado para o outro, ou município, quando o carro é vendido, ou no caso de perda da placa. Não vai existir nenhuma obrigatoriedade. Apenas se o usuário, por livre e espontânea vontade quiser a placa nova”, disse.

As novas placas que serão implementadas no Amazonas, assim como em todo o país, devem conter cerca de sete caracteres. De acordo com o Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), os seis primeiros caracteres devem ser alfanuméricos e o último obrigatoriamente numérico – ao todo, quatro letras e três números.

Segundo o diretor do Detran-AM, Vinicius Diniz, no primeiro mês da implementação, mais de dez mil veículos devem efetuar a troca de placas.

“Nós temos na faixa de três a quatro mil veículos emplacados todo mês, os veículos novos, que já vem com a placa do Mercosul. No primeiro mês, entre 10.500 a 11 mil troca de placas”, explicou.

Em comparação ao modelo de placa antigo, a nova placa facilita a segurança do veículo e é contra falsificação.

Este novo modelo possui uma tarja azul, a bandeira do Brasil, e inúmeros itens de segurança e prevenção à clonagem e falsificação. Ao contrario do modelo atual, que possui três letras e quatro números, a placa padrão Mercosul tem quatro letras e três números. O último número continua sendo o indicador do mês de pagamento do Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

Além disso, o novo modelo adotado traz mudança de todo um processo de produção, promovendo um maior controle de todo o mercado e não permitindo, assim, a ação de atravessadores e fraudadores.

As novas placas possuem marcas d’água com o nome do país e do Mercosul, estarão grafadas na diagonal ao longo das placas, com o objetivo de dificultar falsificações. No Brasil, a placa terá uma tira holográfica do lado esquerdo e um código bidimensional (QR-Code) que conterá a identificação do fabricante, a data de fabricação, número serial da placa, bem como dados do veículo e do proprietário. A tira é uma maneira de evitar falsificação.

Conforme o Detran-AM, a alteração das placas visa dar aos departamentos de trânsito de todo o Brasil um maior controle das rotinas de produção e personalização das placas veiculares, utilizando novos meios tecnológicos.

Fonte: Divulgação


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *