- Cidade

Implurb desenvolve programas e sistemas tecnológicos para atendimento e licenciamento on-line

O diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), engenheiro civil e administrador de empresas, Carlos Valente, declarou que não só o Implurb, mas também a Prefeitura de Manaus ainda não estão preparados com a infraestrutura e com os recursos tecnológicos para exercerem na plenitude essa possibilidade de licenciamento on-line.

Apesar do Implurb possuir projetos, ainda vai demorar um pouco devido a demora para desenvolver todo o sistema, treinar o público interno e externo, disponibilizar programas e sistemas para o público externo acessar os sistemas internos do instituto, da Secretaria de Meio Ambiente (Semmas) e de outras secretarias.

Além de todos esses dispositivos, Valente afirma que ainda será necessário disponibilizar banda larga com capacidade de tráfego adequado com hardware e software internos, treinamentos com tamanha complexidade que não se faz do dia para a noite.

“Por determinação do prefeito David Almeida, nós temos que colocar Manaus dentro das plataformas 4.0, onde a capital precisa ser uma cidade que se destaque nessa questão de inteligência tecnológica, se tornando uma cidade atrativa para investimentos”, destacou.

A idéia é de que Implurb em um prazo médio de um a dois anos, seja uma cidade juntamente com o instituto atração para investimentos em todos os sentidos, ou seja, de onde estiver poderá acessar o Implurb, para se licenciar. Se alguém estiver em Portugal, na Alemanha, na França, em São Paulo, em Guarujá ou até mesmo em Parintins, Maués e quiser aprovar um projeto no Implurb, se tiver uma boa conexão ele vai aprovar, não será preciso ir até o instituto.

Ainda de acordo com Valente, essa é a meta e o compromisso de toda a equipe com o prefeito, que definiu essa diretriz para dinamizar não só atendimento, mas também implementar uma nova era em tecnologia.

Na área de desenvolvimento urbano, o diretor-presidente destacou a mobilidade urbana, infraestrutura urbana, projetos urbanísticos de praças, de ciclovias e etc, não eram dadas as devidas discussões integradas disso, o implurb fazia uma coisa, o Immu fazia outra, a Seminf fazia outra, onde o exemplo disso foi a construção do viaduto do Manoa. A obra chamou a atenção literalmente de que é imprescindível a estruturação desses grandes projetos para cidade de Manaus de uma discussão sistêmica envolvendo os órgãos afins.

Parceria entre as secretarias para melhor desenvolver Manaus

Em uma primeira reunião na Seminf coordenada pelo vice-prefeito e secretário Marcos Rotta, onde a Seminf executa as obras e o Implurb basicamente é o desenvolvedor de projetos, de estudos e de planos, formando-se um grupo entre o instituto, Seminf e Instituto de Mobilidade Urbana (IMU). Esse grupo vai discutir sistematicamente os projetos de intervenções na cidade de forma técnica e dentro de cada especificidade.

No momento em que for discutir mobilidade, o IMU estará presente com toda sua equipe técnica dando sua opinião técnica e embasamento sobre mobilidade. Enquanto isso, o Implurb vai estar falando das condicionantes urbanísticas e a Seminf falará sobre as condicionantes executivas das obras e o resultado disso serão projetos melhores para a cidade.

Esse tripé formado por essas três secretarias trará intervenções menos traumáticas, mais econômicas e mais eficientes, isso já está basicamente formatado. Outras demandas nessa mesma diretriz da Semulsp, da Semacc, são intervenções que impactam diretamente na relação do implurb para o desenvolvimento de estudos e projetos, mas que também vão impactar na mobilidade.

Por exemplo, a Semacc desenvolver o projeto de uma feira coberta e esquecer as interferências de parada de ônibus, estacionamento, criando um gargalo para a mobilidade urbana. Ao desenvolver esse projeto, o IMU será provocado para se manifestar sobre o ponto de mobilidade se estará de acordo ou não com o projeto para evitar problemas no futuro.

Se vai ser execução direta então será necessário chamar a Seminf que será consultada quanto a questão orçamentária. Tudo isso será realizada de forma integrada onde todos os secretários e o próprio prefeito David Almeida concordem e entendam dessa maneira, de que discutir as ações e projetos entre três ou quatro entidades da prefeitura, a possibilidade de acerto será maior e da eficiência dessas intervenções e da utilidade delas serem melhores com especificações técnicas.

Atendendo um chamamento do prefeito David Almeida, todas as secretarias estão comprometidas em salvar vidas e um comitê de crise foi criado para apoiar e atender todas as demandas da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), tanto que o próprio presidente do IMU trabalhando diuturnamente está hospitalizado com Covid-19 entre outros integrantes da equipe do prefeito.

“A gente não tem medido esforços. Estou aqui de manhã e à tarde, claro com os devidos cuidados com distanciamento, álcool em gel e mascara para que ninguém seja contaminado. Alguns de nossos funcionários trabalham em sistema de home Office (em casa), cumprindo decreto municipal, mesmo enfrentando algumas dificuldades para que o trabalho não perca a sua eficiência e produtividade”, finalizou Carlos Valente.

Foto: Zeferino Netto/Redação Portal Leia Mais


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *