- Economia

Dólar firma alta, em meio a cautela com exterior

O dólar passou a subir nesta quinta-feira (17), após operar sem rumo mais cedo. O mercado aguarda sinalizações mais contundentes do governo sobre a Previdência e acompanha o exterior, em meio a uma cautela renovada com as negociações comerciais entre Estados Unidos e China.

Às 11h50, a moeda norte-americana subia 0,77%, vendida a R$ 3,7623. Veja mais cotações. Na máxima do dia até o momento, alcançou R$ 3,7730.

A aceleração no movimento de alta da moeda norte-americana, após abrir com pouca variação, foi puxada pelo cenário externo, segundo operadores disseram à Reuters.

“Tem um pouco de ruído no cenário internacional por expectativa de desaceleração da economia chinesa, bolsas europeias estão em queda com os resultados trimestrais aquém do esperado, tem a falta de definição do Brexit”, disse à agência o economista da Geral Investimentos, Denilson Alencastro.

Analistas consultados pela Reuters disseram que o crescimento anual do Produto Interno Bruto da China pode cair para 6,3% em 2019, e que o crescimento do país provavelmente desacelerou para 6,4% no último trimestre de 2018, o mais fraco desde a crise financeira, à medida que a guerra comercial com os EUA pressionou as demandas doméstica e externa.

O otimismo com as negociações comerciais entre EUA e China também foi contido por uma escalada nas tensões, relacionada a uma notícia de que parlamentares dos EUA propuseram uma legislação que proíbe a venda de chips norte-americanos ou outros componentes para a Huawei Technologies ou outras companhias chinesas que violam sanções dos EUA ou regras de controle de exportações.

“Certamente (a questão EUA-China) é um dos fatores que gera mais cautela, o mercado vinha com uma percepção melhor dessas relações comerciais, apesar de não ser diretamente relacionada à questão comercial, claro que isso gera ruído, segura esse ímpeto otimista que vinha havendo”, disse mais cedo à Reuters o economista da Tendências Consultoria, Silvio Campos Neto.

No Brasil, o foco do mercado está no presidente Jair Bolsonaro, que deve receber a proposta de reforma previdenciária no fim da semana e poderá dar seu parecer depois de participar do fórum de Davos, que ocorre de 22 a 25 de janeiro, de acordo com o “Valor Online”.

O dólar fechou em alta na quarta-feira (16), com os investidores monitorando o cenário externo e esperando os próximos passos do governo em relação à aprovação de reformas. A moeda subiu 0,19% vendida a R$ 3,7335.

O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 13,4 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares para rolagem do vencimento de fevereiro, no total de US$ 13,398 bilhões.

Fonte: G1


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *