- Esportes

Dono da camisa 8 de Iniesta no sub-19 do Barcelona, brasileiro fica dividido entre seleções de Brasil e Espanha

O meia Arthur não é o único brasileiro que vem mostrando classe com a camisa 8 de Iniesta no Barcelona. O jovem Lucas de Vega, de apenas 18 anos, aparece como uma das promessas dos clube na categoria sub-19. Filho de mãe brasileira e pai espanhol, o menino nascido em Fortaleza se mudou aos dois anos para a capital da Catalunha e se desenvolveu no futebol com o autêntico DNA do Barça.

– Jogo no meio-campo, gosto de jogar de meia, minhas características são o toque de bola, construção de jogadas, ajudar na saída de bola e na criação. Tento me espelhar no Iniesta, que é o meu ídolo – disse Lucas, em entrevista ao Globoesporte.com.

Desde os nove anos no Barcelona, Lucas conta que realiza um “sonho de garoto” jogando no que classifica como “maior clube do mundo”. Orgulhoso de vestir o uniforme da equipe catalã, o jovem também já teve a oportunidade de usar duas grandes camisas: das seleções brasileira e espanhola, nas equipes sub-16 e sub-17.

– São duas das seleções mais fortes do mundo, foi muito bonito ter a oportunidade de vestir as duas camisas. Ainda não tenho minhas ideias claras, porque tenho coração dividido. São sentimentos dividos pelo fato de ter nascido no Brasil e ter crescido aqui na Espanha – explica.

Apesar de confessar que teve dificuldades em se expressar em português durante o período em que esteve com a seleção brasileira, Lucas garante que consegue compreender tudo, mas que acabou ficando mais próximo do meia Gustavo Henrique, filho do ex-volante Paulo Assunção, que também chegou jovem à Espanha e atua no Atlético de Madrid.

Mesmo com com a vida estabelecida na Espanha, Lucas tenta manter vivas suas raízes brasileiras. O meia conta que costuma ver alguns jogos do Brasileirão e destacou o Santos como seu preferido – por conta do recente histórico de Neymar na equipe. Quando o assunto é jogador brasileiro favorito, o jovem mostra queo lado barcelonista pesa na decisão.

– Tem vários jogadores que gosto, Neymar é um deles, mas o que mais gosto na atualidade é o Coutinho, pelo estilo de jogo com o qual me identifico – finalizou.

“Estrangeiros”, Barcelona e o Brasil
Algumas histórias famosas são bastante parecidas com a de Lucas de Vega. Rafinha foi para a Europa jogar pelo Barcelona com apenas 13 anos de idade. Formado no clube catalão, o brasileiro defendeu a seleção espanhola na base, mas migrou para a equipe brasileira no sub-20. O meia foi campeão olímpico com o Brasil nos Jogos do Rio, em 2016.

Thiago Motta se dirigiu à capital catalã aos 17 anos, iniciou a carreira no Barcelona e defendeu o Brasil em seleções de base. No entanto, posteriormente, Motta passou a atuar pela seleção italiana – o jogador tinha cidadania do país.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *