- Esportes

Levantamento de peso troca de presidente, preocupa o COI e pode ser excluído das Olimpíadas

O levantamento de peso corre risco de ser excluído das Olimpíadas depois dos Jogos de Tóquio. Nesta quarta-feira, o Comitê Olímpico Internacional (COI) ressaltou em nota oficial sua preocupação com a troca na presidência da federação internacional da modalidade (IWF), acusada de corrupção e acobertamento de doping. O COI voltou a apontar a exclusão do levantamento de peso do programa olímpico de Paris 2024 caso a IWF não melhore suas práticas de governança.

As acusações de corrupção na IWF se tornaram públicas no começo deste ano. O romeno Tamás Aján foi suspenso da presidência em janeiro e renunciou ao cargo em abril depois de 44 anos no poder. A americana Ursula Papandrea assumiu o cargo interinamente. Com o apoio do COI, ela iniciou uma reforma na governança da entidade máxima do levantamento de peso.

No entanto, nesta quarta, o Conselho Executivo da IWF, em reunião emergencial sem a presença de Papandrea, trocou o comando da IWF, colocando na presidência Intarat Yodbangtoey, da Tailândia, um dos países suspensos das Olimpíadas de Tóquio por causa do elevado número de casos de doping. Ele também é acusado de corrupção.

– O COI está muito preocupado ao saber sobre a relatada decisão tomada pelo Conselho da Federação Internacional de Halterofilismo (IWF) de substituir a presidente em exercício, Sra. Ursula Garza Papandrea, a forma como a decisão foi tomada e o substituto escolhido. O COI teve uma excelente cooperação com ela durante seu mandato e apoia totalmente as reformas que ela iniciou na IWF. Atualmente, o COI não recebeu todas as informações para avaliar a situação em sua totalidade. Este incidente e suas consequências serão, obviamente, levados em consideração pelo Conselho Executivo do COI quando se tratar de tomar outras decisões – afirmou em nota o COI.

O COI ressaltou a relevância das reformas propostas por Papandrea para a garantir a independência das operações antidoping da IWF e a modernização de suas estruturas de governança e gestão. Afastando as tentativas de mudanças no processo de classificação dos atletas para os Jogos de Tóquio, o COI enfatizou a importância de manter a relação entre vagas disponíveis para cada país e seu histórico de doping.

– Essas áreas de preocupação foram comunicadas à IWF. A Federação também foi informada de que o COI, ao revisar atualmente o programa do evento e as cotas dos atletas para os Jogos Olímpicos de Paris 2024, se reservaria o direito de tomar outras medidas dependendo de quaisquer desenvolvimentos futuros, incluindo, mas não se limitando a, uma revisão do local do levantamento de peso no programa dos Jogos Olímpicos Paris 2024 e consideração do programa de eventos Paris 2024 e cotas de atletas, que serão determinadas em dezembro de 2020 – afirmou a nota do COI.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *