- Esportes

Pia aposta na união para compensar problemas na preparação da seleção feminina para as Olimpíadas

Não foi uma semana fácil para a técnica da seleção feminina, Pia Sundhage. A quatro meses dos Jogos Olímpicos de Tóquio, a treinadora sueca recebeu duas notícias desanimadoras: a lesão de ligamentos da volante Luana, que está fora das Olimpíadas, e a impossibilidade de disputar amistosos na data Fifa de abril, a penúltima antes do torneio.

Nesta quinta, Pia convocou 25 jogadoras para um período de treinos na Granja Comary, entre 5 e 13 de abril. Somente duas não atuam no país, a zagueira Rafaelle, do Changchung Dahzong, da China, e a meia atacante Andressa Alves, da Roma. Das outras 23, apenas oito disputaram mais da metade dos amistosos com a treinadora desde 2019: Barbara, Bruna Benites, Erika, Tamires, Andressinha, Chú, Cristiane e Bia Zaneratto. Jogadoras do exterior chamadas frequentemente, como Formiga, Marta, Debinha, Ludmila, Kathellen e Aline Reis, não puderam ser convocadas desta vez.

Pia reconheceu na entrevista coletiva que o cenário não é o ideal, e espera tirar o máximo proveito possível dos treinamentos para reforçar a união do grupo, algo que ela considera fundamental para o sucesso em Tóquio.

– Claro que não é bom (a ausência de amistosos), mas eu acredito em todas nós juntas. Vamos para a Granja Comary para reforçar a importância de acreditar em algo – afirmou a treinadora.

O Brasil tinha um amistoso praticamente confirmado contra a Noruega, na Europa, mas não só esse como qualquer outro jogo contra seleções europeias teve de ser cancelado pela impossibilidade das viagens diante do cenário atual da pandemia no país.

Rivais olímpicas farão amistosos

Enquanto a seleção feminina estará apenas treinando, outras equipes classificadas para os Jogos de Tóquio farão amistosos preparatórios: a seleção dos Estados Unidos vai jogar em Estocolmo, no dia 10, contra a Suécia, bronze na Rio-2016 e também classificada para Tóquio. Três dias depois, os EUA jogarão contra a França. Outros jogos entre equipes que irão as Olimpíadas serão Holanda x Austrália e Inglaterra (base da seleção olímpica britânica) x Canadá, ambos dia 13.

Os amistosos de abril ajudariam Pia também a resolver um problema de última hora, a ausência da volante Luana, uma das jogadoras com mais partidas sob o comando da sueca (13). A treinadora, agora, precisa buscar uma nova titular na posição em que não havia mais necessidade de testes. Para a sueca, o desafio será menor se a seleção entender a importância do jogo coletivo.

– Luana é uma jogadora muito boa, e é uma pena que ela não possa jogar por estar contundida. Mas não é sobre uma jogadora, e sim sobre o time. Na SheBelieves (torneio que a seleção disputou nos Estados Unidos, em março), nós não tivemos Luana e Formiga (vetadas pelo PSG), e acho que fomos bem de qualquer forma. A palavra chave é: juntas. Nem eu nem ninguém fica feliz em perder alguém, mas eu prefiro focar nas que vão para as Olimpíadas.

Pia voltou a destacar sua preocupação com a diferença de condição física entre as jogadoras da seleção.

– Todo mundo tem que estar no mesmo nível. Se eu falo de preparação física, se você comparar um jogo de Libertadores com um de Champions League, é diferente, é mais rápido na Champions. Não vai ser fácil, mas não há nenhum time do mundo que ganhe algo com facilidade, você tem que abraçar as dificuldades – comentou.

Fonte: Globo Esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *