- Esportes

Presidente do Palmeiras confia em permanência de Abel e deixa futuro de Felipe Melo para Leila

O presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, participou do programa Seleção SporTV desta terça-feira e afirmou que confia na permanência do técnico Abel Ferreira no comando da equipe independentemente do resultado da final da Copa Libertadores, sábado, contra o Flamengo.

O treinador português tem contrato até o fim de 2022, mas nos últimos meses passou a ser aventada a possibilidade de ele abreviar a saída e deixar o Palmeiras após a disputa do título sul-americano.

Eu acredito que o Abel continuará no Palmeiras. Acredito, torço e farei o possível. Claro, a decisão não é minha, mas eu gostaria muito que ele continuasse no Palmeiras. Eu acho que será muito importante para o Abel, porque ele é muito envolvido e identificado com o clube. Nós palmeirenses somos muito identificados com a maneira como o Abel pensa, e seria muito bom para ele, torcedores e para a Leila pereira. Todos ganhariam com a permanência do Abel. Se eu puder ajudar, eu faria de tudo para que ele permaneça – declarou Galiotte.

O presidente alviverde foi questionado o peso da questão familiar na decisão de Abel Ferreira. Atualmente, a esposa e as filhas do treinador vivem longe dele, em Portugal.

– Esse é um tema importante para nós, não só para o Abel Ferreira. Quem vive distante da família por muito tempo? É um tema sensível e importante que estamos tratando. A esposa do Abel veio algumas vezes ao Brasil, é um assunto que está sendo tratado e a Leila sabe da importância deste tema. A gente tem que tratar com cuidado, da melhor maneira possível. É importante a família para o Abel, é importante o projeto para ele, importante o Abel para o Palmeiras e o Palmeiras para o Abel. É isso que a gente debate muito para que consiga fazer com que essa estrutura permaneça no próximo período – comentou.

Outro tema da entrevista do presidente alviverde foi a renovação de contrato do volante Felipe Melo. O jogador de 38 anos tem vínculo até dezembro e gostaria de permanecer no clube. Galiotte, porém, optou por não estender o acordo e deixou a decisão para a nova presidente Leila Pereira.

– A minha gestão acaba dia 15 de dezembro e as próximas decisões serão decididas pela próxima gestão. Eu obviamente tenho minha opinião, vou participar do momento de transição. Quando comentei sobre o Abel Ferreira, vale para todos. Você não tenha dúvida que o Felipe Melo tem um grande valor para todos nós, dentro e fora de campo, da mesma maneiro o Jaílson. Todas as situações serão resolvidas ao final da temporada. É legítimo e justo que as pessoas que estão entrando e que estarão no projeto do próximo período tomem as decisões de acordo com as avaliações que elas fizerem. Eu gosto muito do Felipe Melo, acho que ele tem muitos serviços prestados ao clube, é importante ao elenco, mas temos que debater e conversar para ver o que a Leila Pereira pensa, ver o que a comissão técnica pensa e espero que tudo se resolva da melhor maneira possível.

Aprova final única?
– É uma experiência que foi feita e não tem volta. Pelo o que temos de informação da Conmebol, esse é o modelo definitivo. Nós tivemos experiência, o Flamengo também. É diferente, é uma situação que define nos 90 minutos. Nível de concentração e entrega absurda. Eu gostei, eu acho que é um modelo interessante. Espero não cair novamente e capotar como da última vez.

Leila presidente
– Nos últimos nove anos, fizemos um trabalho responsável no clube. Relembrando que eu iniciei como primeiro vice-presidente em 2013, o Palmeiras estava na segunda divisão. A gente não gosta de relembrar, mas é importante para as pessoas entenderem o quanto trabalhamos e nos dedicamos e hoje o Palmeiras com dois títulos brasileiros, dois da Copa do Brasil, Paulista e Libertadores. Tudo isso foi feito com muita dedicação e a Leila acompanhou tudo isso. A grande virada do Palmeiras foi em 2015, em janeiro, quando inauguramos a Arena e o contrato de patrocínio da Crefisa e da FAM. Ela sabe nosso dia a dia, como a gente cuida das finanças do clube, como cuidamos do futuro do clube, o que fizemos nos últimos 24 meses com contratações pontuais, trouxemos o Dudu que é ídolo do clube, Piquerez… Tudo isso feito com muito cuidado, controle e responsabilidade administrativa e financeira. Eu tenho certeza absoluta que a Leila vai para o mesmo caminho, ela pensa da mesma maneira. Eu posso garantir para o torcedor palmeiras é que o Palmeiras sempre estará brigando por títulos e sendo protagonista.

Mecenato com Leita Pereira: como evitar?
– É importante dizer que o Paulo Nobre, na gestão de 2013 e 2014 – e eu estava junto, acompanhei o dia a dia daquele período extremamente difícil -, ele emprestou dinheiro ao clube e é importante dizer: o clube se recuperou financeiramente e pagou o presidente, da mesma forma está acontecendo com a Leila Pereira. Essa reestruturação que foi feita, o Palmeiras tem fontes de recursos importantes e distintas que faz com que consiga pagar todas as dívidas e honrar com os compromissos. Temos uma gratidão com o Paulo e a Leila, temos que valorizar as pessoas que ajudam o clube. Nós temos que pensar que o Palmeiras precisa de todos, não queremos aquele Palmeiras que sofria para fazer 44 ou 45 pontos. Queremos um Palmeiras campeão, protagonista, forte, como está hoje. Temos que valorizar as pessoas que apoiam o clube e não jogar pedra. Hoje, a patrocinadora que é eleita a presidente tomará todos os cuidados, se surgir alguma dúvida, ela levará ao conselho deliberativo, isso é importante. Tomar cuidados para que todas as partes estejam preservadas e, sobretudo, o grande ganhador tem que ser o clube. O que é bom para o Palmeiras? O que é importante para o clube e faz o clube crescer? E dessa maneira agir com responsabilidade nesta direção.

Gestão
– Nós quando administramos um clube passamos por diversas situações e momentos. O Palmeiras passou por ótimos momentos e momentos difíceis. Nós tivemos que mudar o perfil de trabalho. Contratamos muito em 2017 e 2018, fizemos grandes contratações, temos um trabalho forte nas categorias de base. No final de 2019, quando não conquistamos, eu falei que mudaríamos a forma de trabalho, o Palmeiras iria direcionar diferente. Começamos a contratar menos, de forma pontual, revelando muitos jogadores, ganhando títulos, muitos jogadores servindo a seleção brasileira. Então, essa mudança de forma de trabalho foi muito necessária. Nós tivemos muito sucesso, tríplice coroa, campeão da Libertadores e agora disputando novamente uma final de Libertadores.

Expectativas da torcida
– Quando a gente vence, somos os melhores e o trabalho é valorizado. Quando não conseguimos o título, parece que está tudo errado. Nós somos vice-campeões paulistas esse ano, no início desse ano ainda, mas na temporada passada, fomos campeões da Libertadores e da Copa do Brasil. Neste ano, vice-campeões paulistas, terceiro colocado no Campeonato Brasileiro e estamos na final da libertadores. Tudo depende do nível da expectativa. Vamos falar do Brasileirão, que é aquilo que o torcedor valoriza. Estamos em terceiro, atrás do Atlético-MG e Flamengo, que estão fazendo ótimos trabalhos e estamos disputando a final da Libertadores depois de passar pelo São Paulo e Atlético-MG. É inconcebível dizer que esse trabalho ficou muito aquém da expectativa do nosso torcedor. Nós estamos em uma final de Libertadores. Há quanto tempo o torcedor palmeiras esperava por um momento desse? Acho que nem esperava mais. Se analisar os últimos 20 anos, disputar duas finais de Libertadores é muito especial para nós palmeirenses. Aliás, não construímos nada sozinhos. Temos bons profissionais, ótimos dirigentes, estrutura maravilhosa, bons jogadores, comissão técnica e temos torcedores engajados e que precisam estar conosco nessa final de Libertadores. Nós precisamos de vocês torcedores.

Fonte: Globo Esporte

 


There is no ads to display, Please add some

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *