- Esportes

Quem se destacou, o que deu certo e o que deu errado na vitória do Santos sobre o Olimpia

Mesmo em uma semana conturbada, com afastamento do presidente José Carlos Peres, o Santos foi ao Paraguai, venceu o Olimpia por 3 a 2, nesta quinta-feira, e garantiu a classificação para as oitavas de final da Libertadores. Isso, sem dúvidas, graças à atuação de gala do goleiro João Paulo.

Apesar de jogar fora de casa, o Peixe mostrou iniciativa e não se acomodou diante do Olimpia, tanto que abriu o placar. Depois, não conseguiu resistir à pressão paraguaia e levou a virada, mas no segundo tempo conseguiu os três pontos. Sánchez, Marinho e Kaio Jorge fizeram os gols da vitória.

Agora, o Santos se isolou na liderança do grupo G da Libertadores, com 13 pontos, à frente de Defensa y Justicia, Olimpia e Delfín.

Como saíram os gols
O Santos, mesmo fora de casa, começou a partida no Paraguai em cima do Olimpia. A pressão e as constantes tentativas de abrir o placar renderam um pênalti. Sánchez, depois de meses sem marcar, abriu o placar para o Peixe.

O Olimpia, porém, foi ao ataque. Insatisfeito com a derrota parcial e pressionado para se manter vivo na Libertadores, o time paraguaio virou ainda no primeiro tempo.

Os donos da casa só não contavam com mais uma noite inspirada de Marinho. Numa falta de longe, sem pretensão, talvez tentando cruzar para a área, o camisa 11 do Santos empatou antes do intervalo.

No segundo tempo, o Peixe, mesmo sem tanto poder ofensivo, foi eficaz. Sánchez recebeu ótimo lançamento dentro da área e deixou Kaio Jorge frente a frente com o goleiro adversário. O atacante parou, driblou e fez o terceiro gol do Santos.

Quem se destacou
Kaio Jorge, Sánchez, Marinho e, principalmente, João Paulo. O quarteto, sem dúvidas, garantiu a vitória do Santos no Paraguai.

O centroavante, ainda um garoto de apenas 18 anos, foi, mais uma vez, mais do que um camisa 9. Kaio Jorge saiu muito da área, armou o jogo e ainda marcou o gol da vitória do Santos no segundo tempo. Aliás, com uma tranquilidade invejável.

Sánchez e Marinho, mais experientes, ditaram o ritmo do Santos, principalmente no primeiro tempo, quando o time comandado pelo técnico Cuca tentava dominar o Olimpia e ficar no campo de ataque.

Agora, João Paulo foi o principal destaque do Santos no Paraguai. Com diversas defesas difíceis, em finalizações até da pequena área, o goleiro do Peixe garantiu a vitória mesmo diante da pressão do Olimpia nos minutos finais.

O que deu certo
A estratégia do Santos de não se satisfazer apenas com o empate, que já daria a classificação, deu certo. O Peixe, principalmente antes de abrir o placar, tentou jogar contra o Olimpia como se estivesse na Vila Belmiro. Ocupou o campo de ataque, abriu o placar e só não foi melhor por não conseguir manter a “pressão”.

O Santos entrou em campo num 3-4-3 quando tinha a bola, para povoar o meio de campo e ser forte na criação das jogadas. O Peixe contou, também, com a eficiência de Marinho, Soteldo e Kaio Jorge na frente para chegar perto do gol adversário.

Depois de ser superior nos minutos iniciais, o Santos viu o Olimpia crescer. Entrou em ação, então, outro ponto que deu certo nesta noite: a pontaria. O Peixe não precisou de muitas chances para fazer três gols e garantir a vitória.

O que deu errado
O Santos perdeu praticamente todas as bolas pelo alto. Com centroavantes altos, o Olimpia abusou de cruzar na área do goleiro João Paulo, que teve de fazer milagres para evitar diversos gols dos paraguaios.

O primeiro, inclusive, quando o Santos estava na frente, saiu após vacilo do lateral-direito Madson, escalado como zagueiro, que perdeu o tempo de bola e viu o Olimpia abrir o placar. Praticamente todas as chances criadas pelos paraguaios foram pelo alto.

Próximos passos
O Santos entra em campo novamente no domingo, contra o Goiás, às 18h15 (de Brasília), em Goiânia, pelo Campeonato Brasileiro.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *