- Esportes

Rebeca Andrade e estrelas da ginástica contam suas histórias à Ana Luísa, que treinava na laje no Borel

Filmada por um vizinho do Morro do Borel, na zona norte do Rio, ao treinar em uma trave improvisada na laje de sua casa, Ana Luísa Batista, de 12 anos, virou notícia e ganhou um presente dos sonhos. O Flamengo ofereceu a estrutura para aulas e testes, e a oportunidade de conviver com as referências da ginástica artística no Brasil.

Nomes como Rebeca Andrade, Jade Barbosa, Flávia Saraiva e Lorrane Oliveira, além de Daniele Hypólito, conheceram a jovem atleta e lembraram quando elas próprias tiveram a primeira oportunidade entre suas atletas favoritas. Em entrevistas à Fla TV, elas deram as boas-vindas à Ana Luísa e contaram suas histórias.

Rebeca Andrade
– Quando eu treinava em Guarulhos, eu conheci a Dai [Daiane dos Santos] e a Laís [Souza]. Quando me mudei para começar a treinar no Flamengo, estava a Jade, a Daniele, o Diego, então foi bem incrível. Eu sinto no coração como ela se sentiu. É bem legal.

– Se a gente batalhar bastante, acreditar nos nossos objetivos, nas pessoas que trabalham com a gente, acho que tem que ser grata por todas as coisas que acontecem. Tanto as coisas boas quanto as ruins. Na parte ruim, a gente também aprende a crescer. É onde você descobre a sua força. E saber que o dia ruim também passa, para que o dia bom seja muito mais aproveitado. É importante acreditar em você, principalmente. Ninguém pode querer mais do que você. E sempre ser muito grato, ter muita fé e correr atrás mesmo.

Jade Barbosa
– Gratidão pelo carinho que você tem com a gente, pelo respeito, admiração. Você e todas as outras crianças, eu motivo a buscarem todos os meios de fazerem o que vocês querem. Vão até o final, não desistam. O tentar é muito melhor do que o não tentar.

– O Flamengo sempre foi o celeiro de muitos atletas. A gente sempre teve aqui a seleção brasileira inteira. Quando entrei em 97, a Dani [Daniele Hypólito] já estava e eu vi a Dani ir para a primeira Olimpíada. Já tinha um carinho por ela, da categoria adulta dentro do ginásio. Já admirava antes de conquistar medalha no Mundial. Quando aconteceu, falei caramba, que oportunidade.

Daniele Hypólito
– Acabei vendo uma entrevista dela [Ana Luísa], porque, quando postaram o vídeo dela, me marcaram. Acabei começando a acompanhar. Em uma das entrevistas que vi, ela falou que era minha fã. Nisso, tentei achar o Instagram dela, mandei áudio pelo Instagram. Acho que é um incentivo, quando você dá a resposta para a criança. É o maior incentivo que você pode dar para uma criança talentosa e que tem essa vontade que a Ana Luísa tem. E tive a oportunidade de estar com ela.

Flávia Saraiva
– Por mais difícil que pareça ser, vocês conseguem ir atrás dos seus objetivos. Talvez não seja uma medalhista olímpica, mundial, mas estar no esporte é muito bom para você para incentivar e aprender a lidar melhor com a vida.

– A minha experiência foi um pouco diferente da dela [Ana Luísa]. A Dani [Daniele Hypólito] e o Diego [Hypólito] foram meus padrinhos de ginástica, assim que eu entrei na ginástica. Quando fui treinar em Três Rios, conheci a Jade, a Dani, conheci de verdade, a Rebeca também. Eu ficava super nervosa. Ficava do lado delas e pensava “Meu Deus, estou do lado da Jade Barbosa, respira, não está acontecendo nada, está tudo normal”.

Lorrane Oliveira
– Acho que foi uma experiência incrível para ela, porque eu tive uma oportunidade dessa quando era mais nova. O meu sonho era conhecer a Daiane dos Santos. Eu tive essa oportunidade antes mesmo de vir para o Flamengo. Foi uma inspiração maravilhosa para eu continuar neste caminho.

Fonte: Globo Esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *