- Esportes

Usman relembra infância sem água na África, promete ajudar, e prevê castigo a Colby Covington

Assim que a luta com Tyron Woodley terminou, Kamaru Usman não precisou esperar pelo anúncio de Bruce Buffer para saber que era o novo campeão meio-médio (até 77kg) do UFC. Após um domínio completo, o então desafiante deixou a emoção rolar solta no octógono, onde teve a presença da família enquanto Dana White lhe colocava o título na cintura. Na coletiva, o lutador nigeriano dedicou o título não só ao seu povo, mas a todos aqueles que têm uma vida difícil.

– Todas as coisas pelas quais lutei não são para mim, são para a minha família e para os povos que sofrem no mundo, não só na África. Quero inspirar as pessoas com vidas difíceis. Esse é um título para todo mundo.

Nascido na pequena cidade de Auchi, com menos de 100 mil habitantes, Usman quer melhorar a vida daqueles que vivem a mesma realidade que teve na infância, principalmente com a falta de água.

– Estou preparando algumas coisas. Na vila onde nasci não tem água limpa e farei um trabalho com uma equipe, uma fundação para mudar a vida das pessoas por lá. Não tive água limpa corrente, tínhamos que andar quilômetros para ter alguma agua. Só para você lavar roupa, cozinhar. E muita gente sofreu com malária e outros problemas envolvendo água. Mas vamos criar soluções para deixar a vida mais fácil para mais pessoas.

Usman também citou outro nigeriano do UFC, Israel Adesanya, que no dia 13 de abril pode se tornar campeão interino do peso-médio (até 84kg). Ele enfrentará Kelvin Gastelum e pode colocar dois cinturões no mesmo país africano.

– Meu garoto, ele é o cara! Tem um talento raro, o conheci antes de ser do UFC. Me disseram: “Tem um outro nigeriano”! E vi que ele seria um “problema” no UFC, e aqui estamos agora. E claro, a Nigéria pode ter dois títulos ao mesmo tempo. Quando vocês iriam imaginar isso? E posso mencionar Francis Ngannou (camaronês), então no ano que vem podemos ter três cinturões (com lutadores africanos).

Usman lembrou o ídolo Michael Jackson para avisar que começa a deixar o seu legado. Mesmo aqueles que no futuro não o tenham visto lutar, saberão quem ele é, garante.

– Nem todas as pessoas viram Michael Jackson, mas todos sabem quem ele foi. Isso é um legado, e é o que quero fazer. Sou um campeão, isso é incrível. Quando você tem um legado, as pessoas vão te descobrir.

O novo campeão do UFC também precisou falar do futuro e, naturalmente, falar sobre Colby Covington, que durante os últimos dias tentou roubar a cena em Las Vegas, inconformado por estar fora da luta no UFC 235.

– Não posso ficar no mesmo quarto com aquele cara. Não vejo a hora de colocar minhas mãos nele. Quero acabar com o corpo dele.

A previsão de voltar a lutar novamente, no entanto, ainda é uma incógnita. Usman mancava depois da luta e chegou à coletiva numa cadeira de rodas. Mas ele não quer ficar longe muito tempo.

– Isso iria acontecer, nada iria me parar. E já lutei com uma perna só e tive que me recuperar três meses depois de uma cirurgia. E nada iria me tirar de perto desse título. Espero voltar bem. Não quero mais tanto tempo (longe) porque tem muita gente para enfrentar, mas preciso de um tempinho agora. Quero estar 100% para o retorno.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *