- Polícia

Operação “Cronos” da Polícia Civil prende 15 por crimes contra mulheres

A Polícia Civil e o Ministério da Segurança Pública deflagraram nesta sexta-feira, 24, a operação “Cronos”, cujo objetivo é combater homicídios e feminicídios (tentados e consumados) em todo o Brasil. Sob o comando do delegado-geral de Polícia Civil, Mariolino Brito e do diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM) delegado Geraldo Elói, a operação “Cronos” foi responsável pela prisão de cinco pessoas, sendo quatro envolvidas em crimes no âmbito da violência doméstica e um por estupro de vulnerável.
Foram presos Alexsandro Monteiro de Queiroz, 39, Mateus Batista Colares, 36, Sebastião Ramires Gomes, 22, Israel Modesto Moreira, 32, Sidney Melgueiro de Lima, 40, João Carlos da Silva, 32, preso por roubo majorado, Theylon Pacson de Souza Meris, 26, homicídio tentado, Cleucimar Brito da Costa, 36, roubo majorado, Joel da Fé Rios, 23, homicídio, Alexandre dos Santos Maciel, 37, tráfico de drogas e Wallace de Oliveira Batista, homicídio tentado.

O delegado Geraldo Elói, diretor do DPM, explicou que além das prisões realizadas por crimes de violência doméstica, que era o principal foco da operação, as equipes realizaram vários cumprimentos de prisão. “A Polícia Civil e o Sistema de Segurança Pública do Estado como um todo, vêm realizando esse trabalho constantemente, dando cumprimento a esses mandados e, com isso, retirando essas pessoas do convívio social”, destacou o delegado.

Cumprindo mandados de prisão, a Polícia Civil prendeu ainda, outras seis pessoas por crimes distintos e um adolescente de 17 anos, apreendido por ato infracional análogo ao crime de estupro de vulnerável.

Os cumprimentos das ordens das ordens judiciais tiveram inicio na quinta-feira, 23, e finalizadas na manhã desta sexta-feira, 24. Ao todo, 12 pessoas foram presas em cumprimento de mandados de prisão.

Combate aos crimes

De acordo com Mariolino Brito, os trabalhos tiveram por objetivo o combate aos crimes de homicídios e feminicídios tentados e consumados. “Em Manaus temos duas delegacias de combate a crimes contra a mulher, sendo uma na zona Centro-sul e outra na zona Norte. As delegadas fazem o trabalho de apurar os casos, autuar os infratores e representar pelas prisões preventivas dos autores dos delitos. A ação desenvolvida neste momento tem como significado mostrar que a Secretaria

de Segurança está atenta aos homens que maltratam mulheres”, ressaltou o delegado-geral.

Por sua vez, a delegada Débora Mafra enfatizou o aumento de registros de violência doméstica na Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM), porque as vítimas estão mais decididas a fazer as denúncias.

“A mulher do Amazonas está mais informada e se sentindo mais protegida em razão da Lei Maria da Penha, que neste mês de agosto completa 12 anos de sua criação, mas sei que ainda precisamos avançar muito mais. A mulher amazonense é uma das primeiras mulheres que decidiu dizer não e dar um basta à violência doméstica”, completou Débora Mafra.

Além do Amazonas, outros estados da federação, também realizaram prisões relativas ao descumprimento das medidas protetivas da Lei Maria da Penha, que tem como foco a prevenção ao feminicídio (termo de crime de ódio baseado no gênero, amplamente definido como o assassinato de mulheres, segundo a wikipédia).

Fonte: PC/Am


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *