- Polícia

Sete são presos em operação em área onde traficantes impediram agentes de saúde de aplicar vacina contra sarampo em Manaus

Sete pessoas foram presas nesta quinta-feira (19) durante operação de segurança no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus, mesma área onde traficantes impediram agentes de saúde de fazer trabalho de imunização contra sarampo na noite de quarta-feira (18). Os presos são suspeitos de crimes, entre eles posse ilegal de arma de fogo.

A capital do Amazonas, que está em situação de emergência, já registra mais de 400 casos de sarampo confirmados, desde março deste ano, além da morte de uma criança de sete meses. Em razão disso, agentes atuam de casa em casa para aplicar doses de vacina.

Segundo a Prefeitura de Manaus, traficantes fecharam duas ruas do bairro e não deixaram os agentes de imunização seguirem com a varredura vacinal nas residências em uma das áreas com maior número de casos da doença. O trabalho terminou por volta das 19h dessa quarta-feira, uma hora antes do previsto.

A operação de reforço na segurança iniciou pela manhã com barreiras nas ruas. Motoristas foram abordados e veículos vistoriados.

Durante a ação, sete pessoas foram detidas. Uma delas estava com uma arma e, ao menos, duas pessoas esatvam com carro roubado. A Secretária de Segurança informou que eles não têm relação com a situação envolvendo os agentes de saúde. Todos foram levados para a delegacia.

Sarampo
O número de casos confirmados de sarampo em Manaus teve novo aumento, passando de 317 para 444, segundo boletim epidemiológico divulgado na tarde da segunda-feira (16) pela Secretaria Municipal de Saúde. Foram 127 novos casos no período de uma semana. A maioria é em crianças com idade entre um e cinco anos. Ao todo, 2.097 casos estão sob investigação.

No início de julho, a Prefeitura de Manaus decretou situação de emergência e anunciou a intensificação da vacinação na capital. Casas, estabelecimentos comerciais e escolas passaram a receber visitas de agentes de saúde.

De acordo com a Prefeitura, 900 profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), divididos em equipes, atuam nas ruas para operacionalizar uma varredura vacinal. O trabalho é realizado diariamente durante seis semanas, das 15h às 20h. A ação emergencial iniciou na segunda-feira (16).

Além do reforço nas ruas, as doses continuam disponíveis para a população em 185 salas de vacinação localizadas em unidades de saúde.

Após ser decretada situação de emergência devido à epidemia de sarampo em Manaus, a cobertura de vacinação foi ampliada na capital. De acordo com a Fundação de Medicina Tropical, (FMT), até agora 85% da população já foi vacinada, mas a meta é chegar a 95%, o que corresponde a 27 mil pessoas. Por isso, a desde segunda-feira (16), além das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), as escolas estaduais começam a oferecer a vacina para os alunos e comunidade.

Campanha nas ruas
Após o decreto de emergência, no início de julho, a Prefeitura de Manaus anunciou a intensificação da vacinação na capital. Casas, estabelecimentos comerciais e escolas passaram a receber visitas de agentes de saúde.

De acordo com a Prefeitura, 900 profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), divididos em equipes, atuam nas ruas para operacionalizar uma varredura vacinal. O trabalho é realizado diariamente durante seis semanas, das 15h às 20h. A ação emergencial iniciou na segunda-feira (16).

Além do reforço nas ruas, as doses continuam disponíveis para a população em 185 salas de vacinação localizadas em unidades de saúde.

Após ser decretada situação de emergência devido à epidemia de sarampo em Manaus, a cobertura de vacinação foi ampliada na capital. De acordo com a Fundação de Medicina Tropical, (FMT), até agora 85% da população já foi vacinada, mas a meta é chegar a 95%, o que corresponde a 27 mil pessoas. Por isso, a partir desta segunda-feira (16), além das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), as escolas estaduais começam a oferecer a vacina para os alunos e comunidade.

Fonte: G1 AM


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *