- Esportes

Kamaru Usman desafia Georges St-Pierre, mas canadense declina: “Não me motiva”

Apesar de dizer que daria a revanche para Jorge Masvidal em sua próxima defesa de cinturão, um nome seria capaz de fazer Kamaru Usman mudar de ideia. O nigeriano desafiou Georges St-Pierre após venceu Gilbert Durinho no último sábado e deu carta branca para o canadense furar a fila de desafiantes caso queira deixar a aposentadoria.

– Eu quero Georges porque Georges saiu no topo. Georges ainda pode fazer isto. Eu vejo ele treinando. Georges, eu estou te assistindo! Eu vejo você treinando! Georges ainda pode fazer isto. Se existe potencial para esta grande luta e Georges quiser voltar, é claro, Georges pode furar a fila – afirmou Usman.

O desafio, no entanto, não empolgou GSP. O ex-campeão dos pesos meio-médios e médios da organização disse que um eventual confronto contra Kamaru não é o suficiente para fazê-lo abandonar a aposentadoria.

– O tempo passou. Minha vida não é a mesma de dois anos atrás. O universo mudou. É assim que funciona. Voltar agora para Kamaru… Eu estou muito feliz pelo que ele faz, pelo o que ele conquistou, mas abrir mão de três meses da minha vida, me colocar numa preparação para tentar vencer Kamaru Usman não me motiva. Não sei se exista alguém que me motivará a voltar à competição – explicou GSP, ao programa canadense “The Good Show”.

Sobre a declaração de Usman, de que o viu treinando e que ele estaria pronto para lutar, St-Pierre declarou que sempre vai treinar, mas que o sacrifício que teria que fazer para estar pronto para uma disputa de cinturão não o anima.

– É claro, eu vou sempre treinar, mas se você me perguntar se eu quero voltar? Tente se colocar no meu lugar e experimente voltar. É claro, se eu tentasse voltar para uma luta com Kamaru Usman, eu teria que literalmente sair do país. Você não pode treinar agora no Canadá, com o Covid. Eu teria que levar meus técnicos para algum lugar, encontrar um lugar para treinar. Levar alguns parceiros de treinos porque é Kamaru Usman. Você precisar estar pronto, você precisa de uma preparação de verdade.

Sem lutar desde novembro de 2017, quando voltou da aposentadoria, finalizou Michael Bisping, conquistou o cinturão dos médios (até 84kg) e anunciou novamente que não lutaria mais, St-Pierre diz que é cada vez mais improvável que ele volte ao octógono.

– Eu teria que deixar meu país, deixar minha família, deixar meu lugar. Estou muito relutante a fazer isso e não preciso fazer isso. Estou saudável, rico, não tenho vontade de perder três meses da minha vida, do estresse e todas as coisas par tentar vencer Kamaru Usman. Conforme o tempo passa, isso se torna menos e menos e menos atrativo. Não acho que exista alguém agora que me fará voltar. Estou bem – concluiu.

Fonte: Globo esporte


There is no ads to display, Please add some

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *